Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Nissan March e Versa: esgotados

Fila de espera para o hatch supera 90 dias, segundo concessionária

Por Márcio Murta Atualizado em 9 nov 2016, 12h05 - Publicado em 3 out 2012, 16h41
mercado

Os dois principais modelos da Nissan no Brasil, March e Versa, desapareceram das concessionárias. Quem quiser comprar um dos dois modelos, atualmente importados do México, tem apenas a opção de entrar na lista de espera. O problema acontece em função das restrições de importação de automóveis para o país, implementadas recentemente, pois a marca já atingiu a sua cota máxima.

O reflexo direto dessa situação pode ser visto no último relatório da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE). Em julho, o March teve 3.842 unidades vendidas, quantidade que diminuiu para 2.400 em agosto e 268 em setembro. A situação não é diferente para o sedã médio Versa, sedã que teve 2.587 unidades emplacadas em julho, 1.773 em agosto e 208 em setembro. A situação também é delicada para o Sentra, que teve 975 unidades vendidas em julho, 528 em agosto e 220 em setembro.

Em função da ausência dos veículos, alguns concessionários da Nissan estão impossibilitados de entregar unidades que foram vendidas, conforme QUATRO RODAS apurou. Em uma revenda, um dos comerciantes informou que alguns clientes já esperam o seu March há 90 dias. “Mas o carro acabou, a Nissan já encerrou a cota. Ouvi falar que eles estão para liberar um lote com mais 7.000 veículos, porém, não tenho confirmação. E, além da grande lista de interessados, já cobramos um adicional de R$ 1.000 pelo modelo”, disse um dos vendedores.

Em outro ponto de revenda da marca, um dos atendentes informou que “para pronta entrega, só tenho o Livina. Não temos previsão para receber March ou Versa”. Em uma terceira loja da marca, um vendedor ainda informou que a marca deve diminuir consideravelmente a importação dos modelos 1.0, priorizando a importação da versão 1.6.

Quando questionados sobre a situação, os representantes da Nissan informaram que “com o término da cota de veículos vindos do México, setembro foi um mês de transição para a Nissan do Brasil. A empresa retomará o crescimento em outubro, tendo em vista a nova realidade do mercado”. A marca também reforçou o ritmo acelerado de construção de sua fábrica no território nacional.

A falta de abastecimento do popular March também ocorre em um momento importante do mercado, uma vez que o setor acaba de ganhar novidades importantes, como a reestilização do VW Gol, lançamento do Toyota Etios e do Hyundai HB20.

Segundo o acordo atual estabelecido entre Brasil e México, a importação de automóveis para este ano pode atingir o patamar de até 1,45 bilhão de dólares – cada marca, com uma parcela diferente do valor total disponível. O limite pode ser irrelevante para algumas montadoras que não importam muitos modelos do país, mas pode prejudicar o comércio de empresas que demando mais modelos da região. É o caso da Nissan, cuja cota deste ano já foi atingida.

Continua após a publicidade

Publicidade