Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Nissan anuncia March e Versa com câmbio CVT para junho

Disponível apenas para as configurações equipadas com motor 1.6, a transmissão dá agilidade e economia de combustível aos modelos

Por Guilherme Fontana Atualizado em 23 nov 2016, 20h54 - Publicado em 12 abr 2016, 14h09
Nissan Versa CVT
Com câmbio CVT, o Versa tem respostas rápidas e ultrapassagens ágeis

A briga entre os compactos tem ficado cada vez mais acirrada, com tecnologias e conjuntos mecânicos dignos de segmentos superiores. De olho nessa evolução, a Nissan anunciou a chegada do câmbio CVT aos modelos March e Versa para o próximo mês de junho. Preços e versões ainda não foram revelados pela marca. São estimados, porém, R$ 55.000 iniciais no caso do sedã.

Disponível apenas para as configurações equipadas com motorização 1.6 de 111 cv, o câmbio é inédito no Brasil e faz sua estreia em motores flex. O equipamento é voltado exclusivamente para a linha de compactos da marca, assim como já é feito na Europa, e tem chances de equipar o Kicks. Para chegar ao território brasileiro, no entanto, o CVT passou por ajustes que o deixaram menor e mais leve em relação ao europeu, além da expansão do raio das polias e da otimização na bomba de óleo, que promete a redução de 30% no atrito dos componentes internos. 

Continua após a publicidade

Nissan Versa CVT
Função Overdrive, acionada pelo botão menor da alavanca, eleva o giro do motor para uma condução mais esportiva

IMPRESSÕES AO DIRIGIR

Durante uma visita à fábrica da Nissan em São José dos Pinhais (PR), QUATRO RODAS andou em unidade pré-série do Versa equipado com a transmissão CVT. Mesmo com as ressalvas apontadas pela marca, como o isolamento acústico incompleto e a relação “quase perfeita” do câmbio do exemplar dedicado a testes de engenharia, o sedã mostrou total sintonia entre seu novo conjunto mecânico.

Nissan Versa CVT
O giro do motor permanece baixo e estável

O Versa CVT mostrou agilidade durante o percurso, predominantemente rodoviário. Mesmo em velocidades mais elevadas, entre 100 e 120 km/h, o giro do motor se mantém estável e próximo de 2.500 rpm, privilegiando o conforto dos ocupantes e a economia de combustível. Ultrapassagens são feitas sem esforço, especialmente com a ajuda da função Overdrive (algo como uma função “Sport”), acionada por um botão lateral na alavanca do câmbio, elevando o giro do motor para respostas ainda mais rápidas.

Segundo a marca, o consumo do sedã com etanol/gasolina em ciclo urbano ficou em 7,8/11,6 km/l, enquanto em ciclo rodoviário registrou 10/14,1 km/l. Já no caso do March CVT, os números com etanol/gasolina ficaram em 7,8/11,7 na cidade e 9,7/14,5 km/l na estrada.

Continua após a publicidade

Publicidade