Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Lancer Evo e Impreza WRX estão no Duelo da Semana

Sedãs esportivos japoneses disputam seu voto

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 14h25 - Publicado em 30 mar 2015, 19h52
geral

Um confronto de tradicionais esportivos japoneses marca o Duelo da Semana. Mitsubishi Lancer Evolution e Subaru Impreza WRX são versões invocadas de pacatos sedãs, que conquistam uma legião de fãs há décadas.

Embora existisse desde meados dos anos 70, o Lancer só ganhou uma versão esportiva no começo da década de 90. O Evolution I teve apenas 2.500 unidades produzidas para o mercado japonês, que se esgotaram em 72 horas. O motor 2.0 turbo tinha 244 cv e torque máximo de 31,5 mkgf. Era o começo de uma dinastia de dez modelos, que eram praticamente carros de rali homologados para as ruas. O Evo (apelido dado pelos entusiastas) viveu sua época dourada entre 1996 e 1999, vencendo quatro campeonatos mundiais de rali com o finlandês Tommi Makkinen – que acabou batizando até uma edição especial do Evolution VI, em 2000. No entanto, para tristeza geral dos entusiastas, a Mitsubishi anunciou que não haverá um Evo XI. Isso mesmo: o Lancer Evo deixará de existir a partir de 2016, pelo menos do jeito que o conhecemos. A filial brasileira resolveu prestar uma justa homenagem lançando o Evo X John Easton, levando o nome do mais renomado preparador de Lancer do planeta. A edição limitada a 90 carros tem 340 cv – contra 290 cv do Evo X “normal”.

O Impreza WRX nasceu juntamente com as versões mais “mansas” em 1992. O motor 2.0 boxer turbinado de 218 cv já garantia fortes emoções, mas o melhor estava por vir: dois anos depois, a Subaru lançou o WRX STi, retrabalhando motor, câmbio e suspensão para entregar 250 cv. Enquanto o Impreza fazia bonito nos campeonatos de rali (incluindo a conquista de três Mundiais de Construtores, entre 1995 e 1997), nas ruas o modelo já dividia as atenções com seu conterrâneo Lancer Evo. A segunda geração surgiu em 2000, mas foi reestilizada três anos depois devido à baixa aceitação do visual arredondado. Novas tecnologias mecânicas foram adotadas em 2005, mesmo ano em que o WRX subiu para 2,5 litros – mesma cilindrada do STi da época. Uma nova reforma estética aconteceu em 2006, precedendo a estreia de uma geração inédita no ano posterior – marcada pelo fim da versão perua e a chegada da carroceria hatchback. O WRX tinha 230 cv e o STi chegava a 309 cv. A geração mais recente estreou no ano passado, com 268 cv e 305 cv, e desembarca no Brasil ainda neste ano.

>> Deixe seu voto abaixo e veja o resultado do Duelo na próxima sexta-feira

Loading…

Continua após a publicidade
Publicidade