Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Kaiser Jeep M715

Primeiro 4x4 civil adotado pelo exército americano, ele ainda impõe respeito mundo afora

Por Felipe Bitu | Fotos: Marco de Bari Atualizado em 9 nov 2016, 12h01 - Publicado em 30 ago 2012, 14h06
classicos-grandescarros

Por muito tempo o mote “Aceitamos jovens, devolvemos homens” foi usado pelas forças armadas americanas, evidenciando uma formação de excelência e também um desafio aos recrutas. Em homens e máquinas, os rigores do treinamento militar reforçam as virtudes e revelam as fraquezas. Não foi diferente com o Kaiser Jeep M715. Em 1965, o exército dos Estados Unidos queria um veículo fora de estrada confiável, capaz de rodar em velocidades altas com menor consumo de combustível. O ponto de referência era o já superado Dodge M37, evolução dos vagarosos Dodge WC da Segunda Guerra Mundial.Versão militarizada da picape Jeep Gladiator, o M715 trazia o mesmo chassi comercial usado pelos carros civis, mas o conjunto era superdimensionado: eixos rígidos Dana flutuantes com tração positiva Power Loc acionados pela caixa de transferência NP200. A transmissão era a Warner T-98 de quatro velocidades.

Apelidado de “cinco-quartos”, por causa da capacidade de carga (1 250 kg), ele tinha motor Tornado de seis cilindros em linha e 3,8 litros, primeiro projeto independente da Jeep. Com comando de válvulas no cabeçote e fluxo cruzado, foi considerado problemático pelo mercado e deixou de ser oferecido no Jeep Gladiator em 1965. Mas seu baixo consumo, aliado ao tanque de 106 litros, garantia autonomia estratégica, muito útil no uso militar. O interior trazia apenas bancos individuais e instrumentos de padrão militar idênticos aos do antigo Dodge M37. A produção do M715 foi iniciada em 1967, ano em que estreou na Guerra do Vietnã.

O motor Tornado apresentava deficiências incompatíveis com a dureza das trincheiras. Com sua confiabilidade abalada, apenas 33000 unidades do M715 foram produzidas na planta de Toledo até 1969, permanecendo em serviço até 1977. Muitos exemplares foram repotenciados com motores de projeto mais simples, porém confiáveis. É o caso do M715 do bancário Douglas de Paula, que hoje roda pelas ruas de São Paulo com um motor de seis cilindros em linha com injeção eletrônica doado por uma Chevrolet Silverado. “Este M715 faz parte de um lote doado pelo governo dos EUA ao IBGE no fim dos anos 60. Hoje só sai para passeios esporádicos e eventos de veículos militares e fora de estrada”, diz Douglas. O modelo foi substituído pelas picapes Dodge M880 e homenageado em 2010 pela Mopar, divisão de acessórios da Chrysler, com o conceito Jeep NuKizer 715, um tributo ao M715 original.

NA ATIVA

Na Coreia do Sul, o M715 não entrou para a reserva: ele ainda é fabricado pela Kia em diversas configurações de carroceria e motores movidos a diesel, com praticamente toda a produção destinada às forças armadas do país asiático

FICHA TÉCNICA
Motor 6 cilindros em linha de 3,8 litros
Potência 133 cv a 4000rpm
Câmbio manual de 4 marchas
Carroceria aberta, 3 lugares na cabine
Dimensões comprimento, 533 cm; largura, 216 cm; altura, 223 cm; entre-eixos, 320 cm
Peso 2350 kg
Velocidade máxima 89 km/h
Continua após a publicidade

Publicidade