Clique e assine com até 75% de desconto

Hyundai Equus VS 460

Coreano aspirante quer integrar a tropa de elite

Por Péricles Malheiros | fotos: Marco de Bari Atualizado em 24 nov 2016, 10h25 - Publicado em 23 ago 2012, 11h06

lancamentos

A missão do Hyundai Equus é das mais difíceis: rivalizar com os sedãs alemães de alto luxo. Isso mesmo, o novo coreano vai enfrentar ninguém menos que os topo de linha Lexus LS, Audi A8, BMW Série 7 e Mercedes-Benz Classe S.

Há muito luxo e tecnologia distribuídos ao longo dos 5,16 metros de comprimento do Equus. Se você não bater a porta com força suficiente ao entrar, não se preocupe: um sistema automático terminará o serviço. Ao apertar o botão de partida (o Equus tem sistema de chave presencial), banco do motorista e volante se ajustam de acordo com os padrões armazenados em uma das duas posições de memória. O piloto tem à disposição um motor V8 4.6 de alumínio com 366 cv e 44,8 mkgf de torque – para efeito de comparação, o Audi A8, de 563 535 reais, tem um V8 4.2 de 372 cv. Não convém desligar o controle de estabilidade nas curvas: as rodas traseiras ignoram os 2005 kg do gigante e giram em falso com extrema facilidade.

O câmbio automático sequencial passeia pelas oito marchas de maneira suave, o que não significa lentidão. O piloto automático é adaptativo, ou seja, ajusta a velocidade de acordo com a proximidade em relação ao veículo que vai à frente. Um sistema anticolisão aciona os freios caso os sensores detectem uma batida iminente. Atrás, quem vai no banco direito pode acionar as cortinas elétricas do vidro traseiro e das portas ou acessar a geladeira no console central. Tudo isso ao mesmo tempo em que recebe uma massagem do banco de Alcantara reclinável.

Todo esse luxo roda sobre uma suspensão pneumática de acerto nitidamente voltado para o conforto extremo, mesmo no modo esportivo.

Após um lançamento discreto, em junho, a marca já anunciava o Equus em condição promocional de juro zero com entrada de 50% (160 000 reais) e o restante em 24 parcelas. Um claro sinal de que, apesar de ser da linha premium da Hyundai, o sedã segue a mesma estratégia de divulgação dos modelos “normais”, focada no custo-benefício.

VEREDICTO

O Equus é luxuoso e requintado, mas lhe falta tradição. E isso não tem boa relação custo- benefício que compense.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade