Clique e assine por apenas 5,90/mês

Honda Accord

Nova geração traz tecnologia em um pacote discreto e sedutor

Por Vitor Matsubara | Fotos: divulgação - Atualizado em 9 nov 2016, 01h39 - Publicado em 25 jun 2013, 01h19
lancamentos

Pergunte a alguém qual modelo ela pensa quando falamos em Honda. A maioria responderá Civic ou Fit, alguns dirão City e CR-V, mas pouca gente lembrará do Accord. Isso porque a discrição sempre foi marca do sedã médio-grande, e assim continua sendo na geração que acaba de chegar ao Brasil.

Se a primeira impressão é a que fica, o Accord agrada. O design comportado tem alguns traços de BMW, principalmente nos vincos pela carroceria. É um sedã elegante, sem dúvida, mas não tem a ousadia (nem a esportividade) de seu concorrente Ford Fusion, apenas para citar um exemplo. O mesmo estilo “bom moço” se faz presente no interior, que prima pelo acabamento de qualidade e boa ergonomia, com fácil acesso aos comandos.

O Accord será oferecido na versão única EX, mas com duas opções de motorização. A opção de entrada tem o motor 2.4 de quatro cilindros, com câmbio automático de cinco marchas e 175 cv. Quem prefere mais potência – e puder pagar mais por isso – pode ficar com o 3.5 V6, equipado com transmissão automática de seis velocidades e 280 cv. Ambas as versões são bem recheadas com ar-condicionado digital bizona, câmera de ré, direção elétrica adaptativa (mais leve em manobras e mais firme em velocidades altas), assistente de partida em ladeiras e controle de estabilidade – chamado pela Honda de VSA. O Accord V6 adiciona monitoramento de pontos cegos, teto solar, saídas de ar-condicionado para os passageiros de trás, rodas de liga leve aro 17, saída dupla de escapamento, entre outros equipamentos.

No caso do motor V6, ele alia desempenho com economia de combustível graças à tecnologia de desativação de cilindros. O sistema VCM (Variable Cylinder Management, ou Controle de Variação dos Cilindros, em bom português) analisa parâmetros como velocidade, rotação do motor e posição da borboleta do acelerador para escolher a condição ideal de rodagem. Em situações como trânsito lento, estradas e velocidade constante, ele pode desativar vários cilindros, acionando-os rapidamente ao identificar situações que requerem mais potência – como durante uma ultrapassagem. Para não prejudicar o conforto a bordo, os engenheiros da Honda criaram um sistema de insonização ativo (formado por microfone, rádio e alto-falantes), que analisa o som emitido pelo motor e emite uma onda sonora para atenuar o ruído original.

O Accord EX 2.4 sai por 119.900 reais e o EX 3.5 V6 custa 147.900 reais. A montadora afirma que a versão mais cara corresponderá a 70% do mix de vendas do modelo.

Nota da redação: por um equívoco, publicamos que o modelo seria pertencente à linha 2014. Todos os veículos Accord importados pela Honda para o Brasil são da linha 2013. Pedimos desculpas pelo transtorno.

Continua após a publicidade
Publicidade