Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Grandes Brasileiros: Chevrolet Opala 3800

A suspensão macia e o bom desempenho apaixonaram muita gente nos anos 70

Por Sérgio Berezovsky
Atualizado em 25 mar 2024, 10h06 - Publicado em 29 out 2015, 15h57
Chevriolet Opala 3800
O sedã de luxo seguiu os passos do Opel Olímpico mexicano (Acervo/Quatro Rodas)

“Quem esperava o carro certo, te saúda e te ama e te louva, Chevrolet Opala.” Com essas palavras a GM anunciava nas revistas a chegada do seu primeiro automóvel brasileiro, lançado no Salão do Automóvel no final de 1968. Exagero? Vejamos: foram produzidos 1 milhão de Opala até 1992. Não é pouco. E a prova do seu carisma é o fato de ele ter se mantido basicamente o mesmo ao longo do tempo.

Tudo bem, foram incorporados aperfeiçoamentos mecânicos, como freios a disco na frente, direção hidráulica e aumento de potência do motor de seis cilindros, que passou de 3,8 litros para 4,1 litros, mais conhecidos por “três e oitocentos” e “quatro e cem” – que deu origem anos depois ao potente 250-S. Claro que a estética não foi esquecida: foram muitas mudanças, mas sempre cosméticas, a começar pelo teto de vinil – revestimento plástico de textura enrugada que cobria a capota, já disponível como opcional em 1970.

LEIA MAIS:

>> Grandes Brasileiros: Chevrolet Opala Standard / L / SL

Continua após a publicidade

>> Grandes Brasileiros: Chevrolet Caravan SS

>> Todos os Grandes Brasileiros publicados pela QUATRO RODAS

Andamos no Opala 3800 De Luxo, modelo 1969, um legítimo azul-calcinha, com o interior – incluindo o banco dianteiro único – da mesma cor. Com seu motor de seis cilindros em linha e 125 cv, era o irmão mais esperto do comportado 2500, de quatro cilindros. Em marcha lenta, ouve-se o som das válvulas trabalhando. Quando se acelera mais fundo, o motorzão reage e inclina-se para a direita, levando junto o carro. Essa sensação é um dos prazeres que o carro proporciona, dizem os opaleiros.

Chevriolet Opala 3800
Motor 3800 de seis cilindros trabalhava bem quando exigido ()

As trocas de marcha – três para a frente – pedem doses iguais de força e gentileza: o acionamento é duro e é preciso jeito para diminuir o “cloc!” na alavanca do câmbio durante a passagem das marchas. Em compensação, troca-se pouco de marcha e a força do motor permite que se saia em segunda sem esforço. A direção, apesar de não ter assistência hidráulica, é razoavelmente leve. E a suspensão, macia e silenciosa, garante um rodar suave.

Chevriolet Opala 3800
Interior confortável, com banco inteiriço ()

Diz a lenda que, por ter muito motor e uma traseira muito leve, era recomendável andar com lastro no porta-malas para que o carro não saísse de traseira. O teste realizado por QUATRO RODAS no lançamento não confirma o folclore: “O Opala sai de frente nas curvas, apresentando ligeira hostilidade ao entrar nelas”, afirmava o texto de Expedito Marazzi, que chegou a cravar 170 km/h de velocidade real. Mito ou realidade, pouco importa. A verdade é que Opalão fez parte da vida de muita gente. E poucos resistem a comentar alguma lembrança simpática diante dele.

Eta anúncio profético!

Teste QUATRO RODAS – dezembro de 1968
Aceleração de 0 a 100 km/h 13,3 s
Velocidade máxima 169,8 km/h
Frenagem de 80 km/h a 0 35 m
Consumo urbano 7,5 km/l
Consumo rodoviário 12,2 km/l
Ficha Técnica
Motor dianteiro, 6 cilindros em linha, 3.770 cm3; diâmetro x curso: 98,4 x 82,5 mm; taxa de compressão: 7:1; potência: 125 cv a 4.000 rpm; torque: 26,2 mkgf a 2.400 rpm
Câmbio manual de 3 marchas, tração traseira
Suspensão dianteira: independente; traseira: eixo rígido
Dimensões comprimento, 458 cm; largura, 176 cm; altura, 138 cm; entre-eixos, 267 cm; peso, 1.125 kg
Pneus 165 x 14
Preço (janeiro de 1969) NCr$ 14.990
Preço (atualizado IGP-DI/FGV) R$ 106.668
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.