Ford sofre ação coletiva por câmbio Powershift na Austrália

A transmissão de dupla embreagem se tornou um pesadelo para a marca, que sofre com ações judiciais também nos Estados Unidos e no Brasil 

Ford Powershift Câmbio Powershift do Ford New Fiesta

Câmbio Powershift do Ford New Fiesta  (Quatro Rodas/Quatro Rodas)

A Ford parece estar longe de se ver livre de problemas causados pelo câmbio Powershift. Disponível em modelos da marca desde 2008, a transmissão automatizada de dupla embreagem tem sido alvo de inúmeras ações judiciais em todo o mundo, incluindo o Brasil. Agora, chegou a vez de o mercado australiano se mobilizsofre ar a respeito do equipamento, acusando a marca de “desrespeitar a garantia legal prevista na legislação do consumidor australiano”.

De acordo com a imprensa local, a Ford Austrália sofre uma ação coletiva decorrente de proprietários insatisfeitos com a transmissão Powershift, alegando que a mesma não é segura por provocar acelerações abruptas, demora nas respostas e dificuldade em paradas, exigindo maior esforço e espaço para frenagens. Diante disso, os consumidores pedem, em juízo, o ressarcimento do valor total pago pelos veículos acrescido de uma compensação de danos morais e despesas extras. Em 2007, a marca estendeu a garantia de 47.000 carros no mercado australiano por assumir o mau funcionamento do câmbio.

NA AMÉRICA

Nos Estados Unidos, a Ford enfrenta problemas com a transmissão automatizada desde 2011. Na ocasião, após inúmeras denúncias coletivas e individuais ao NHTSA (órgão que regulamenta o tráfego norte-americano), a marca enviou um comunicado de reparo aos concessionários sobre as possíveis avarias do Powershift presente no Fiesta.

No Brasil, a fabricante admitiu os casos de mau funcionamento do câmbio que, além da anormalidade nas acelerações e reduções, apresenta ainda superaquecimento, barulhos, trepidações e necessidade de trocas prematuras do kit de embreagem. Com isso, os proprietários dos modelos afetados (EcoSport, New Fiesta e Focus) serão notificados sobre reparos gratuitos e receberão a extensão da garantia de três para cinco anos — ou 160.000 km rodados.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Guilherme Fonseca do Nascimento

    E tem gente que ainda bate palma para esse lixo de câmbio…. Quase 10 anos (!) tomando na cabeça para, finalmente, voltarem à caixa convencional….