Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Fabricante do iPhone lança plataforma modular para carros elétricos

Foxconn é responsável pela produção dos iPhones em todo o mundo e revelou plataforma modular aberta para fabricantes de automóveis

Por Igor Macário Atualizado em 20 out 2020, 19h28 - Publicado em 20 out 2020, 07h47
Foxconn/Reprodução

A Foxconn revelou que está desenvolvendo uma plataforma para veículos elétricos com sua tecnologia de baterias de estado sólido. A empresa surpreendeu o mundo ao revelar a base MIH, de desenvolvimento aberto e com direito a serviços conectados à internet, além das baterias modernas.

O anúncio surpreende porque a Foxconn não é muito conhecida por seu trabalho na indústria automotiva, mas na área de telefonia. A empresa taiwanesa é responsável pela produção de nada menos que os iPhone, da Apple.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 8.90

Agora, a empresa deverá aplicar seus conhecimentos numa plataforma de veículos elétricos que possa ser usada por várias marcas. Isso porque, diferentemente de carros com motor a combustão, os modelos elétricos tendem a usar mais componentes importantes feitos por terceiros, como baterias, centrais eletrônicas e até os próprios motores.

Plataforma é modular e pode se adaptar a necessidades das fabricantes CNA/Divulgação

A própria Volkswagen vem tentando parcerias com outras fabricantes para diluir os custos de desenvolvimento da base MEB, usada até então pelos ID.3 e ID.4. A Ford já firmou uma parceria com a VW para usar a MEB.

A base da Foxconn também é modular, criada para atender às necessidades de cada fabricante. Entre-eixos, largura e altura são ajustáveis, e os carros ainda podem ter tração dianteira, traseira ou integral, bem como motores entre 95 kW e 340 kW (de 130 cv a 430 cv, aproximadamente).

Continua após a publicidade

Baterias novas

Além da maleabilidade da plataforma, o grande feito da Foxconn será o uso de baterias de estado sólido, superiores às atuais de íons de lítio. E a tecnologia estaria disponível já em 2024. Essas baterias estão em estudo há anos, com várias empresas na corrida pelo melhor produto.

As baterias de estado sólido têm maior capacidade e aceitam recargas mais rápidas. A promessa de um sistema funcional em 2024 é um desafio, já que ainda não há nenhuma grande companhia produzindo em larga escala essas baterias.

Foxconn/Reprodução

Os programas de comando do veículo estarão ligados à nuvem da Foxconn e poderão ser atualizados remotamente. Funções como acesso sem chaves e até condução autônoma poderão ser solicitados e instalados pela internet em carros já em circulação.

A empresa também prevê gestão de frotas e até táxis autônomos com a nova base.

E a Foxconn tem ambições grandes para a plataforma de elétricos. Segundo o CEO da companhia, Young-Way Liu, o objetivo é que componentes ou serviços da Foxconn estejam em nada menos que 10% dos carros elétricos circulando no mundo em 2027.

A FCA deverá ser uma das primeiras a usar sistemas da Foxconn. Em janeiro, a empresa revelou planos de criar uma joint-venture para produção de elétricos, mas desde então nenhum outro detalhe apareceu. Embora a empresa tenha nome forte no mundo da tecnologia, ainda precisará convencer as montadoras que conseguirá a mesma excelência na área automotiva.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Arte/Quatro Rodas
Continua após a publicidade
Publicidade