Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Estado norte-americano quer banir gasolina com etanol de milho

Motivos seriam danos ao motor e prejuízo à produção de alimentos

Por Rodrigo Furlan Atualizado em 9 nov 2016, 12h25 - Publicado em 11 Maio 2013, 13h07
sustentabilidade

O Estado norte-americano do Maine está discutindo a possibilidade de banir a mistura de etanol de milho à gasolina que é vendida nos postos locais. De acordo com o site Bangor Daily News, os membros da Casa (similar à Câmara de Deputados) votaram a favor do banimento por 109 a 32.

A proposta foi feita pelo Republicano Jeffrey Timberlake, mas só pode entrar em vigor se outros dois Estados da região da Nova Inglaterra também aprovarem leis nesse sentido. De acordo com o autor, a utilização do etanol de milho na gasolina traz dois problemas: danifica os motores dos carros e prejudica a produção de alimentos na região.

Desde 2007, o padrão nos Estados Unidos é a presença de 10% de etanol na gasolina. À época, foi lançado o Renewable Fuel Standard, plano que prevê a introdução de combustível renovável na gasolina comercial – nesse caso, o etanol de milho.

O governo norte-americano, porém, abriu em 2012 a possibilidade de aumentar esse porcentual para 15% (plano E15), com o objetivo de diminuir os custos com combustível. Tal medida causou polêmica, fazendo com que algumas montadoras se manifestassem contrárias à decisão, por acreditarem que essa proporção aumentaria muito o risco de danos severos ao motor.

Atualmente, apenas 10 postos de combustível, nos Estados de Iowa, Kansas e Nebraska, oferecem gasolina com 15% de etanol de milho.

Vale lembrar que, no Brasil, desde 1º de maio, a gasolina vendida nos postos conta com 25% de etanol de cana-de-açúcar, medida que havia sido anunciada pelo governo no início de 2013.

Continua após a publicidade

Publicidade