Dez usados que poderão ser importados para o Brasil a partir de 2016

Uma seleção de esportivos americanos, europeus e japoneses prestes a completar 30 anos de idade

classicos classicos

classicos (/)

Por lei, a importação de veículos usados para o Brasil só é permitida para modelos vendidos 30 anos atrás. Pensando nisso, voltamos no tempo para lembrar alguns dos carros mais interessantes lançados lá fora em 1986. Tem muita coisa relativamente barata (outros nem tanto), divertida e icônica que poderá ser encomendada a partir do ano que vem pelos colecionadores. Confira!

Saab 9000 Turbo: 12 000 libras

saab9000_01_700.jpeg saab9000_01_700.jpeg

saab9000_01_700.jpeg (/)

A Saab, marca sueca famosa por carros rápidos e seguros, lançou em 1986 – em parceria com a Fiat – a plataforma Tipo Quatrro, dividida entre quatro modelos: Fiat Croma, Lancia Thema, Alfa Romeo 164 e o Saab 9000. Apesar de irmãos, o Saab 9000 estilizado pelo famoso estudio de design italiano Italdesign (de Giorgetto Giugiaro) tinha reforços estruturais extras que o tornavam único. A motorização, também exclusiva do Saab, era de quatro cilindros, 2,0 litros, 16 válvulas e turbocompressor, gerando 160 cavalos.

Porsche 944 Turbo: 20 500 dólares

1986-white-porsche-944-turbo-coupe.jpeg 1986-white-porsche-944-turbo-coupe.jpeg

1986-white-porsche-944-turbo-coupe.jpeg (/)

O grande marco dos carros lançados em 1986 talvez seja a introdução em massa da injeção eletrônica e do turbocompressor. É o caso do Porsche 944, uma aposta da marca alemã no segmento de carros esportivos mais acessíveis. Filho do 928, ele aposentou o motor V8 e ganhou um quatro cilindros 2,5 litros com turbo que produzia 220 cv, além de freio a disco nas quatro rodas. Com motor na frente e refrigerado a água, o 944 não é o queridinho dos “porschistas” mais tradicionalistas, mas com certeza é um belo automóvel que todo apaixonado por carros gostaria de ter na garagem.

Toyota Supra: 4 990 dólares

1987-toyota-supra-generat-30_800x0w.jpeg 1987-toyota-supra-generat-30_800x0w.jpeg

1987-toyota-supra-generat-30_800x0w.jpeg (/)

Filho de uma dinástia de esportivos japoneses, o Supra Mark III, neto do Toyota 2000GT, foi lançado em 1978. Em 1986 veio sua 3º geração, equipada com um motor de seis cilindros e 3,0 litros que gerava 200 cavalos – e o melhor, com tração traseira, para felicidade dos fãs de drift, além de modernidades como suspensão independente com controle eletrônico.

Camaro Z28 IROC-Z: 18 500 dólares

1985-chevrolet-camaro-z28-iroc-z-2.jpeg 1985-chevrolet-camaro-z28-iroc-z-2.jpeg

1985-chevrolet-camaro-z28-iroc-z-2.jpeg (/)

A terceira geração do Camaro foi lançada em 1982. Três anos depois, a já venesosa versão Z28 ganhou o pacote opcional IROC-Z (uma referência à categoria de automobilismo International Race of Champions), com suspensão refeita, maior rigidez torsional, relações de marcha mais esportivas e diversas opções de motores – o maior deles, um V8 de 5 litros com 215 cavalos

Toyota MR2: 6 496 dólares

0219150605131985_mr2_1.jpeg 0219150605131985_mr2_1.jpeg

0219150605131985_mr2_1.jpeg (/)

Ao contrário dos rumores que existem até hoje, o MR2 (abreviação para Mid-engine/Rear wheel drive com 2 lugares) não surgiu por influência de um projeto da Lotus que havia sido abandonado – apesar da Toyota fornecer motores para a Lotus equipar seus carros na época. O esportivo vinha equipado com um motor de quatro cilindros e 1,6 litro que gerava 112 cavalos de potência, com câmbio de 5 marchas manual ou automático. Alguns anos depois, ganhou uma versão supercharged com 145 cavalos e um facelift. Graças aos variados kits de preparação, o baixo peso e a configuração mecânica saborosa para os aficionados, com tração traseira e motor central, o MR2 é o brinquedo perfeito para um track day.

LEIA MAIS:

– Mercedes-Benz agora vende modelos clássicos restaurados

– O colecionador que já acumula doze Opala SS

– Um passeio por duas das maiores coleções de clássicos do Brasil

Maserati Biturbo: 6 500 dólares

maseratibiturbo_700.jpeg maseratibiturbo_700.jpeg

maseratibiturbo_700.jpeg (/)

Lançado em 1982 ainda sob a batuta de Alejandro deTomaso, o Maserati Biturbo tinha a missão de ser um carro menos exclusivo que a média da marca, com preço razoável. Como o nome já diz, ele trazia debaixo do capô o primeiro motor biturbo de um carro de produção – no caso, um V6 de 2,5 litros e 185 cavalos que chegariam a até 250 cavalos em versões subsequentes. Não fez o sucesso que prometia e acabou virando mico. Resultado: hoje, seus preços estão bem acessíveis.

Mazda RX-7: 9 990 dólares

11960944663_0c7df46426_b.jpeg 11960944663_0c7df46426_b.jpeg

11960944663_0c7df46426_b.jpeg (/)

Célebre pelo uso do motor rotativo tipo Wankel, a segunda geração do RX-7 ganhou um visual mais arredondado, parecido com o Porsche 944. As maiores mudanças, porém, foram mecânicas: nova suspensão (com direito a um sistema de esterçamento no eixo traseiro, para uma resposta de rotação mais rápida em curvas fechadas), freios a disco nas quatro rodas e o famoso motor rotativo 13B em versão turboalimentada, gerando 182 cavalos.

Golf GTI: 12 950 libras

db2007au00379_medium.jpeg db2007au00379_medium.jpeg

db2007au00379_medium.jpeg (/)

A versão GTI do Golf surgiu já na geração inicial do carro. Em sua segunda geração, o esportivo ganhou a opção de 16 válvulas e injeção eletrônica para o motor de 1,8 litro, produzindo 139 cavalos. Graças ao baixo peso, seu desempenho é respeitável até hoje, com aceleração de 0 a 100 km/h em 8 segundos e máxima na casa dos 220 km/h.

Pontiac Firebird Trans Am: 15 000 dólares

recaro4.jpeg recaro4.jpeg

recaro4.jpeg (/)

Eternizada pelo seriado Super Máquina, onde um Firebird Trans Am de 1982 – modificado por nada menos que George Barris – era o companheiro de aventuras do ator David Hasselhoff, a terceira geração do Pontiac tinha motor V8 de 5 litros e até 225 cavalos, câmbio manual de cinco marchas e os famosos faróis escamoteáveis. Na época, ele compartilhava a plataforma do Camaro, o que significa uma infinidade de opções de kits de preparação para motor, suspensão e freios.

Lamborguini Countach 5000QV: 647 000 dólares

267316.jpeg 267316.jpeg

267316.jpeg (/)

Aqui a brincadeira fica mais séria. Com um design futurista muito à frente de seu tempo, o Countach foi apresentado em 1971 e lançado três anos depois nas versões LP400 e LP400S. O modelo 5000QV (Quattrovalvole) lançado em 1986 ganhava injeção eletrônica e um motor V12 de 5,2 litros cuja potência aumentava de 325cv para 420 cv graças às quatro válvulas por cilindro anunciadas em seu nome. Pouco prático, com péssima visibilidade e altíssimo custo de manutenção, mesmo assim ele permanece um ícone – principalmente para quem teve pôsteres do carro em seu quarto na década de 80.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s