Clique e assine por apenas 8,90/mês

Audi cria sistema que ajuda condutor a não pegar mais o sinal fechado

Veículos da marca já podem se conectar à infraestrutura de semáforos da cidade para alertar quando eles estarão fechados ou abertos

Por Renan Bandeira - Atualizado em 11 fev 2020, 08h00 - Publicado em 11 fev 2020, 07h00
Divulgação/Audi

Cansado de pegar o sinal vermelho e ficar esperando? Parece que os engenheiros da Audi querem resolver esse problema.

Agora, a marca alemã oferece aos clientes de algumas cidades dos Estados Unidos e também da Europa uma tecnologia que promete evitar semáforos fechados.

Ela é composta por dois sistemas: Green Light Optmized Speed Advisory (Alerta de Velocidade Otimizada em Luz Verde) e Traffic Light Information (Informação de Luz de Tráfego).

O primeiro deles calcula a velocidade ideal para o motorista passar o maior número de semáforos verdes durante o seu trajeto. Enquanto isso, o outro sistema realiza uma contagem regressiva para a abertura do próximo sinal.

Continua após a publicidade

Isso tudo acontece graças à tecnologia V2I (Vehicle to Infrastructure ou comunicação Veículo-Infraestrutura, na tradução livre) que conecta o veículo à toda a infraestrutura de sinais de trânsito da cidade, permitindo que os veículos recebam os algoritmos da via que indicam o tempo que ainda falta para o sinal ficar verde.

A partir disso – e da distância até o cruzamento -, o sistema também calcula a redução de velocidade que o condutor tem de adotar em um determinado trecho para passar livremente pelo semáforo.

Mais que uma forma de poupar o estresse com o trânsito e o semáforo vermelho, a medida também seria eficaz para em cidades violentas, como muitas no Brasil, uma vez que evitaria a parada do carro e, com isso, a possível ação de criminosos.

Além disso, segundo a Audi, a conexão com os semáforos pode reduzir em até 15% o consumo de combustível.

Até o momento, a fabricante disponibiliza o sistema nos veículos: A4, A5, A6; A7; A8; Q3; Q7; Q8 e e-Tron – fabricados a partir de junho de 2019.

Continua após a publicidade
Publicidade