Clique e assine por apenas 8,90/mês

Quais as diferenças entre a pintura sólida e a metálica?

A diferença não é sentida apenas pelos olhos, mas também no bolso do consumidor

Por Redação - Atualizado em 2 jan 2017, 17h26 - Publicado em 23 jun 2016, 15h37

VW Space Cross

Quais são as diferenças entre a pintura sólida e a metálica? – Nercize Gonçalves da Mota, Brasília (DF).

A pintura sólida – também chamada de lisa – é a mais comum e barata, pois utiliza apenas pigmentos de cores. Utiliza-se laca ou esmalte para essa camada. Geralmente, ela é oferecida nas cores branco, preto e vermelho.

Na pintura metálica, a tinta recebe a chamada carga de efeito, formada por laca acrílica e flocos de alumínio. Ela reflete com mais precisão a luz e deixa a superfície com aspecto mais brilhante.

Continua após a publicidade

Por fim, há a pintura perolizada, a mais cara, que recebe pó de pérola e partículas de mica (um pigmento de origem mineral). Ela torna as cores mais intensas e proporciona aquele efeito típico de mudança de cor dependendo do ângulo de visão.

Enquanto a pintura sólida é oferecida sem custos nas configurações básicas dos automóveis (com exceção da valorizada cor branca, que algumas montadoras já cobram à parte, mesmo sólida), a metálica e a perolizada costumam ser itens adicionais que aumentam o preço do automóvel. Os valores variam bastante conforme a marca: uma pintura metálica pode custar entre R$ 1.200 e R$ 2.000, enquanto uma perolizada pode ultrapassar os R$ 2.500.

Os cuidados para manter a pintura nos trinques são os mesmo para os três tipos: lavar sempre que o carro pegar poeira, barro, fezes de pássaros ou na volta da praia, jamais lavar o carro (e deixá-lo secando) sob o sol ou com a lataria quente e fazer o enceramento e polimento com regularidade, para conservar a pintura e a boa aparência.

Publicidade