Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Passando o rodo

Por Redação 13 Maio 2013, 14h32

Por Péricles Malheiros

18 435 km

O primeiro motorista a reclamar da trepidação das palhetas dos limpadores de para-brisa do nosso EcoSport foi o editor Péricles Malheiros, às vésperas de uma viagem a Brasília (DF), em dezembro de 2012. “Antes de sair de São Paulo, notei que a palheta esquerda vibrava, gerando ruído e deixando faixas intercaladas de água”, diz. Às pressas, agendamos uma visita à concessionária Forte, onde, segundo o consultor, um ajuste foi providenciado. A incômoda trepidação voltou tão logo o modelo caiu na estrada. “Fui e voltei com dor no pescoço, pois as faixas de água no para-brisa me obrigavam a deslocar a cabeça para o lado para enxergar melhor a estrada. Para não arriscar, evitei dirigir à noite”, afirma o editor. De volta a São Paulo, retornamos à Forte. “Dessa vez, substituímos braços e palhetas”, disse o consultor ao devolver o carro. O defeito persistiu. Decidimos, então, investigar o caso mais a fundo. Com base nas
informações da consultora de uma autorizada Ford, descobrimos que o problema não é exclusividade do nosso Eco. “Tem muito dono de novo EcoSport reclamando do mesmo defeito”, disse ela.

Consultamos a fábrica, que, em nota, respondeu: “A Ford constatou que alguns veículos apresentaram trepidação das palhetas do limpador de para-brisa, o que poderia causar algum incômodo aos ocupantes. Esta situação não afeta o pleno funcionamento do componente nem a visibilidade do motorista. Porém, sempre visando à total satisfação de seus clientes, a Ford realizará, através de sua rede de distribuidores, a substituição gratuita das palhetas nos veículos que apresentarem essa ocorrência”. Num segundo contato, a marca descartou a necessidade de decretar um recall.

Só neste mês o espelho do para-sol direito, a portinhola de acesso ao bocal do tanque e a borracha da porta traseira direita se soltaram sem motivo. Os três itens foram reparados, em garantia, na paulistana Sonnervig, que atendeu ao nosso pedido e efetuou uma nova tentativa de ajuste das palhetas.

Consumo

No mês (25,8% na cidade) – Etanol 7,9 km/l

Continua após a publicidade

Desde dez/12 (24,7% na cidade) – Etanol 7,8 km/l

Principais Ocorrências

8 968 km – Alarme dispara com o carro estacionado na chuva
9 326 km – Substituição de braços e palhetas do para-brisa em garantia. Estavam trepidando
10 857 km –  Palheta do limpador de para-brisa voltou a vibrar
16 308 km – Espelho do para-sol direito solto
16 645 km – Portinhola de acesso ao bocal de abastecimento do tanque solta
17 669 km – Borracha da porta traseira direita solta

Espelho do para-sol do passageiro caiu | A tampa que dá acesso ao tanque se soltou

Continua após a publicidade

Publicidade