Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

É necessário ter cacife para entrar nesta rodada entre esportivos alemães. E nenhum deles está aqui para blefar

Por Paulo Campo Grande Atualizado em 29 nov 2020, 01h20 - Publicado em 28 nov 2020, 13h56
S
R8 da Audi, 911 Turbo da Porsche e SLS AMG da Mercedes, durante teste compartivo da revista Quatro Rodas Performance. Marco de Bari/Quatro Rodas

Reportagem publicada em 2010 na revista Quatro Rodas Performance:

“Se tivesse que escolher um, com qual dos três você ficaria?” Eu ainda estava sob efeito da adrenalina de acelerar o Audi R8 V10, o Mercedes SLS AMG e o Porsche 911 Turbo quando o fotógrafo Marco de Bari disparou a pergunta. Uma animada discussão logo se formou na redação.

Todos apresentamos argumentos consistentes a favor de nossos preferidos, mas nenhum de nós estava completamente convencido de sua escolha.

No fundo, queríamos levar os três para casa, porque cada um deles à sua maneira tem todos os ingredientes que apreciamos em um esportivo. Mas o desafio era apontar um e apenas um entre os três superesportivos. Você, o que responderia?

A Black Friday já começou na Quatro Rodas! Clique aqui e assine por apenas R$ 5,90

Pensando em desempenho, o Porsche foi unanimidade. E não podia ser diferente. Na pista de testes, o 911 Turbo deixou os rivais para trás, acelerando de 0 a 100 km/h em 3,1 segundos, na melhor passagem. Na média de quatro ensaios, demorou um pouco mais: 3,2 segundos.

Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

Mercedes e Audi também foram rápidos, mas não o bastante. O SLS cravou 4 segundos e o R8 V10, 4,4 segundos. No cronômetro, a vantagem do Porsche pode parecer pequena. Mas, na prática, é grande.

Só para você ter uma ideia, o 911 Turbo acelera tão rápido quanto uma moto esportiva de 1 000 cc, como a nova BMW S 1000 RR, que em nossa edição especial MOTO bateu as rivais Yamaha YZF-R1, Kawazaki ZX-10R e Honda CBR 1000RR, com o tempo de 3,22 segundos, nas provas de 0 a 100 km/h. E olha que a relação peso/potência do Porsche, de 3,1 kg/cv, é pior que a da BMW, de 0,95 kg/cv.

Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

O 911 Turbo arranca com uma energia avassaladora. Na partida, o motorista recebe um tranco e, em seguida, sente a velocidade crescer vertiginosamente com um ímpeto que parece não ter fim.

Em 10 segundos ele já está a 200 km/h. Logo depois de cruzar os primeiros 1 000 metros da pista, o superesportivo atingia 260 km/h. Nessa velocidade, a paisagem era apenas um borrão, a frente do carro parecia querer decolar e a direção que antes exigia esforço nas manobras agora recomendava firmeza nas mãos.

  • No restante da reta respirávamos fundo e sentíamos a adrenalina percorrer o corpo da cabeça aos pés, como um revigorante banho de cachoeira.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    O Mercedes chegou a 252,7 km/h, no fim do primeiro quilômetro, e o Audi, a 246,5 km/h. Mais uma vez, ficaram atrás do Porsche, mas não dá para dizer que eles nos proporcionaram experiências monótonas. Pelo contrário. Estamos falando de um clube onde nenhum sócio é aceito com menos de 500 cv no motor. O mais potente dos três, aliás, é o Mercedes SLS AMG, com 571 cv (a 6 800 rpm).

    O R8 V10 vem na sequência, com 525 cv (a 8.000 rpm), e o Porsche fica nos “modestos” 500 cv (a 6.000 rpm). A vantagem do 911, que é o único biturbo na pista, aparece no torque. Ele tem 71,4 kgfm (a 2.100 rpm), enquanto o Mercedes conta com 66,3 kgfm (a 4.750 rpm) e o Audi, com 54,1 kgfm (a 6.500 rpm).

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    O ronco do V10 é o que dá mais prazer de ouvir. Ele é encorpado, grave, nervoso. O SLS é gostoso de escutar principalmente nas reduções, quando ocorrem estouros de gases, simulando gasolina explodindo no escapamento, como nos carros de corrida. Mas nas acelerações o SLS tem um timbre de V8 americano, o que combina mais a bordo de um Camaro ou Mustang. O motor do 911 ronca forte e empolga naturalmente.

    Nós não medimos as velocidades máximas, mas, de acordo com os números das fábricas, o que voa mais rápido é o Mercedes SLS, que chega a 317 km/h. O R8 V10 vem colado em segundo, com a marca de 316 km/h, e o 911 Turbo fica em terceiro, com 312 km/h.

    Porsche 911 Turbo e Audi R8 V10 possuem tração integral, portanto, na hora de acelerar, eles empurram o asfalto com as quatro rodas, enquanto no Mercedes SLS a tração é traseira.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Em relação aos câmbios, algumas curiosidades: a Audi, que foi a primeira marca a apresentar a transmissão com dupla embreagem, ainda não instalou o sistema no R8. O argumento é de que o conjunto S-Tronic não suportaria um volume de torque tão grande. O R8 vem com o câmbio R-Tronic de seis marchas.

    A Mercedes, por sua vez, jurava amor eterno ao câmbio automático sequencial 7G-Tronic, mas cedeu aos encantos dos sistemas manuais robotizados com dupla embreagem, em uma caixa igualmente de sete marchas.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Na Porsche, o câmbio PDK (com sete marchas e dupla embreagem) não é novidade. Esse sistema já equipa o 911 desde a geração passada. Mas o 911 Turbo também traz surpresas na linha 2010.

    As trocas de marcha, no modo manual, são feitas por meio de borboletas “soltas” atrás do volante e não mais com botões na face da direção, dispositivos que exigiriam destreza de prestidigitador em um carro rápido como o Turbo.

    Ainda no que diz respeito à quebra de paradigmas, a Porsche, que sempre se orgulhou de fabricar esportivos capazes de voar baixo em uma pista e depois circular com elegância no trânsito, desta vez fez um carro para ser dirigido o tempo todo com a faca entre os dentes. Um esportivo em estado bruto.

    Apesar da assistência hidráulica, a direção do 911 parece diretamente conectada com as rodas, exigindo força e atenção ao volante. Com proposta semelhante, a suspensão chega a ser áspera.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo
    SLS AMG da Mercedes e 911 Turbo da Porcshe, durante teste compartivo da revista Quatro Rodas Performance. Marco de Bari/Quatro Rodas

    Quem dirige o 911 Turbo e em seguida assume o volante do Audi R8 ou do Mercedes SLS logo sente a diferença. Com os sentidos calibrados para o 911, os rivais se transformam em dóceis cupês. A direção do R8 parece leve – e lenta. E a suspensão do SLS se torna (ainda mais) macia.

    Para comparar o comportamento dos esportivos, é necessário um tempo de adaptação a cada um deles.

    A partir daí é possível notar que Audi e Porsche têm mais semelhanças entre si do que esses dois em relação ao Mercedes. A posição de dirigir, por exemplo: enquanto no R8 e no 911 o motorista se posiciona no centro da plataforma, no SLS ele viaja mais próximo do eixo traseiro.

    Isso porque R8 e 911 são cupês, o primeiro com motor central-traseiro, o segundo com motor traseiro; e o SLS é um roadster com motor central-dianteiro.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Outra coisa: R8 e 911 têm comportamento mais neutro nas curvas. Graças a suas trações integrais, eles manobram como se andassem em trilhos. O SLS, ao contrário, tem características sobre-esterçantes, ou seja, ele tende a sair de traseira. Para quem gosta de contornar curvas deixando o carro escorregar levemente, isso é diversão garantida, apesar do controle eletrônico de estabilidade.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Pensando em não estragar a festa, a Mercedes dotou o SLS de um sistema ESP com três níveis de permissividade: nenhuma (com máxima assistência), média (com alguma tolerância a desvios de trajetória) e total (com o sistema desligado).

    O SLS, no entanto, é um carro bastante previsível e mantém o motorista o tempo todo informado do que se passa à volta. Um diálogo muito agradável, diga-se. O controle por parte do motorista tem a garantia do chassi bem equilibrado – com o peso dividido em partes balanceadas, na razão de 47% para a frente e 53% para trás, centro de gravidade baixo e uma carroceria com alta resistência estrutural.

    O equilíbrio também se faz presente na hora de parar. Chegando a 266 km/h no fim da reta da pista, o SLS desacelera para contornar uma curva a 100 km/h sem balançar a carroceria ou mergulhar a dianteira.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    O bom comportamento dinâmico foi o atributo mais lembrado do SLS em nossa eleição. Mas o Mercedes também agradou por acomodar bem o motorista no cockpit. Diferentemente dos rivais, o SLS não tem ajustes no banco, apenas o longitudinal, mas o motorista se encaixa de tal modo em seu banco concha que a impressão é de que o cockpit foi feito sob medida.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    O corpo fica perfeitamente alinhado e apoiado e o volante se encontra quase vertical, o que torna a condução fácil e divertida, seja na pista, seja na rua. A suspensão do SLS copia o asfalto tanto quanto a do 911 Turbo, mas faz isso sem abrir mão do conforto característico dos Mercedes.

    Ao contrário da Porsche, a Mercedes conservou a suavidade típica de seus veículos. Essa postura tradicional, aliás, foi causadora de algumas brigas entre os projetistas da Mercedes e da McLaren por ocasião do desenvolvimento do Mercedes SLR McLaren, uma vez que os ingleses defendiam um comportamento dinâmico mais visceral.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    No fim das contas, o SLR ficou mais confortável que o próprio SLS, projetado pelos alemães da AMG, divisão esportiva da Mercedes, livres das pressões do sócios.

    No caso da Audi, o R8 V10 apresenta um comportamento intermediário. Ele não é tão arisco quando o Porsche, mas é bem mais esportivo que o Mercedes. Para quem quer um esportivo para exercitar os reflexos, mas sem ficar cansado, essa calibragem é a mais indicada. Mas o que mais chamou atenção no Audi R8 V10 foi seu visual.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Deixando da lado a tradição do SLS, recriação do lendário 300 SL Asa de Gaivota, e a do próprio 911, que nunca mudou radicalmente desde os primeiros tempos, o R8 é o mais futurista dos três. Do para-choque dianteiro até o traseiro, o R8 surpreende com inovações que passam pelo design dos faróis, pelo caimento da linha do teto e pela lâmina lateral que separa a cabine do compartimento do motor. Internamente, o motorista se sente no comando de um caça.

    Os instrumentos circundados por duas órbitas simétricas dão ideia de movimento mesmo com o carro desligado. E um arco de fibra de carbono que começa na porta e vai até o console cria uma atmosfera de unidade no cockpit. Os bancos também são do tipo concha, como os do SLS, mas têm diversos ajustes elétricos, como os do 911.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Em relação ao acabamento, os três esportivos usam materiais do mais alto padrão na indústria, a exemplo do alumínio em peças como alavancas de câmbio e de freio e detalhes no painel, da fibra de carbono no console, do couro nos bancos e da camurça no teto.

    hh

    Nas avaliações feitas pela QUATRO RODAS, por ocasião dos lançamentos, o SLS foi o único a receber cinco estrelas como média final, enquanto os outros ficaram com quatro estrelas e meia. A vantagem do SLS surgiu no item “Seu bolso”, porque, apesar de caro, ele chegou custando menos da metade do SLR McLaren, modelo que o SLS veio substituir no topo da pirâmide Mercedes (embora, conceitualmente, os dois tenham muitas diferenças).

    Continua após a publicidade

    Além disso, por ser a recriação de um mito, o SLS é cotado também como um investimento, podendo ser disputado por colecionadores, no futuro – como uma Ferrari F40 hoje, por exemplo. A diferença de preço entre os três, porém, não é grande, e, como materializações de sonhos, quem poderá dizer o que é caro ou barato?

    No fim da discussão, o placar terminou quase empatado. Meu voto foi para o Mercedes. O Porsche foi o preferido do editor Péricles Malheiros e do assistente Juliano Barata. E o Audi caiu no gosto do fotógrafo Marco de Bari e do diretor de arte, Tarcísio Alves. Mas, como fui eu que fiz o teste, meu voto teve peso maior. Deu SLS.

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

  • Veredicto

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Cada um à sua maneira, Audi R8 (V10), Mercedes SLS AMG (V8) e Porsche 911 Turbo (6 cilindros opostos) têm atributos mais que suficientes para agradar quem gosta de superesportivos.

    Em comum, eles oferecem tecnologia de ponta, sofisticação, desempenho e capacidade superior de divertir quem tiver a oportunidade de dirigi-los, seja numa pista, seja nas ruas.

    Como objetos de desejo, a escolha de um deles depende mais da afinidade que o comprador tem com o visual, com o estilo e com a marca que com aspectos mais racionais, como preço.

    No visual, o R8 é o mais futurista. No estilo, o SLS, que recria o lendário 300 SL, é o mais charmoso. E, no desempenho, o 911 é superior. No preço, os três estão na mesma faixa.

    Audi R8

    Grandes comparativos: Audi R8 V10 x Mercedes-AMG SLS x Porsche 911 Turbo

    Desempenho

    0-100 km/h (s) – 4,4
    0-1 000 m (s) – 22,1
    D 40 a 80 km/h (s) – 2,2
    D 60 a 100 km/h (s) – 2,1
    D 80 a 120 km/h (s) – 2,2
    Velocidade máxima (km/h) – 316*

    Frenagem
    120/80/60 km/h a 0 (m) – 49,1/21,5/12,7

    Ruído interno
    PM/RPM máx. (dBA) – 48,3 / 74,6
    80/120 km/h (dBA) – 65,7 / 68,5

    Velocidade real a 100 km/h (km/h) – 97

    Consumo
    Cidade (km/l) – 6,7
    Estrada (km/l) – 9,9
    Tanque de combustível/autonomia (l)/(km) – 90 / 891

    hh

    Ficha técnica

    Motor – V10 / 40V / 5 204 / central / longitudinal
    Diâmetro/curso (mm): 84,5 / 92,8
    Taxa de compressão: 12,5:1
    Potência (cv a rpm): 525 a 8.000
    Torque (kgfm a rpm): 54,1 a 6.500
    Câmbio – automatizado / 6 / integralDireção – hidráulica / 3 voltas
    Suspensão – independente, do tipo duplo A, nos dois eixos
    Freios – disco ventilado (diant.) / disco (tras.)
    Pneus – 235/35 R19 (diant.) / 295/30 R19 (tras.)

    Dimensões

    Comprimento/entre-eixos (cm) 443 / 265
    Altura/largura (cm) – 125 / 190
    Porta-malas (litros) – 100
    Peso (kg) – 1.620
    Peso/potência (kg/cv) – 3,1
    Peso/torque (kg/kgfm) – 29,9
    Diâmetro de giro (m) – 11,8

    * Dados de fábrica

    Mercedes-AMG SLS

    hh

    Desempenho

    0-100 km/h (s) – 4,0
    0-1 000 m (s) – 21,6
    D 40 a 80 km/h (s) – 2,1
    D 60 a 100 km/h (s) – 1,9
    D 80 a 120 km/h (s) – 2,4
    Velocidade máxima (km/h) – 317*

    Frenagem

    120/80/60 km/h a 0 (m) – 49/21,8/12,0

    Ruído interno

    PM/RPM máx. (dBA) – 56,9 / 74,1
    80/120 km/h (dBA) – 65,2 / 68,9

    Velocidade real a 100 km/h (km/h) – 99

    Consumo

    Cidade (km/l) – 7,2
    Estrada (km/l) – 8,5
    Tanque de combustível/autonomia (l)/(km) – 99 / 841

    hh

    Ficha técnica

    Motor – V8 / 32V / 6 208 / central / longitudinal
    Diâmetro x curso: 102,2 x 94,6 mm
    Taxa de compressão: 11,3:1
    Potência (cv a rpm): 571 a 6.800
    Torque (mkgf a rpm): 66,3 a 4.750
    Câmbio – automatizado / 7 / traseiro
    Direção – hidráulica, progressiva / 2,5 voltas
    Suspensão – independente, do tipo duplo A, na dianteira e na traseira
    Freios – discos ventilados e perfurados
    Pneus – 265/35 R19 (diant.) / 295/30 R20 (tras.)

    Dimensões

    Comprimento/entre-eixos (cm) – 464 / 268
    Altura/largura (cm) – 126 / 194
    Porta-malas (litros) – 176
    Peso (kg) – 1 620
    Peso/potência (kg/cv) – 2,8
    Peso/torque (kg/mkgf) – 24,4
    Diâmetro de giro (m) – 11,9

    * Dados de fábrica

    Porsche 911 Turbo

    hh

    Desempenho

    0-100 km/h (s) – 3,2
    0-1 000 m (s) – 20,5
    D 40 a 80 km/h (s) – 1,8
    D 60 a 100 km/h (s) – 1,7
    D 80 a 120 km/h (s) – 2,1
    Velocidade máxima (km/h) – 312*

    Frenagem

    120/80/60 km/h a 0 (m) – 49,7/21,9/12,7

    Ruído interno

    PM/RPM máx. (dBA) – 53,3 / 66,0
    80/120 km/h (dBA) – 66,2 / 69,9

    Velocidade real a 100 km/h (km/h) – 103

    Consumo

    Cidade (km/l) – 6,9
    Estrada (km/l) – 10,5
    Tanque de combustível/autonomia (l)/(km) – 67 / 703

    hh

    Ficha técnica

    Motor – 6 cil. / biturbo / 24V / 3 800 / tras. / long.
    Diâmetro x curso: 102 x 77,5 mm
    Taxa de compressão: 9,8:1
    Potência (cv a rpm): 500 a 6.000
    Torque (kgfm a rpm): 71,4 a 2.100
    Câmbio – automatizado / 7 / integral
    Direção – hidráulica
    Suspensão – Dianteira: independente, McPherson / Traseira: independente, multilink
    Freios – discos ventilados e perfurados
    Pneus – 235/35 R19 (diant.) e 305/30 R19 (tras.)

    Dimensões

    Comprimento/entre-eixos (cm) – 445 / 235
    Altura/largura (cm) – 130 / 185
    Porta-malas (litros) (diant./tras.) – 105 /190
    Peso (kg) – 1.595
    Peso/potência (kg/cv) – 3,1
    Peso/torque (kg/kgfm) – 21,9
    Diâmetro de giro (m) – n/d

    * Dados de fábrica

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa 739
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade