Clique e assine por apenas 8,90/mês

Novo Suzuki Swift Sport fica mais leve e se rende ao turbo

Hot hatch troca o antigo 1.6 aspirado por um motor 1.4 turbo; importação para o Brasil ainda é incerta

Por Guilherme Fontana - Atualizado em 13 set 2017, 08h21 - Publicado em 12 set 2017, 16h34
Versão esportiva tem aberturas maiores e mais pronunciadas na dianteira Suzuki/Divulgação

A quarta geração do Suzuki Swift, enfim, ganha a versão apimentada Sport. Agora pesando menos de uma tonelada após a redução de 80 kg, o compacto finalmente deixou para trás o motor aspirado para entrar na era das turbinas.

Como é de praxe, a versão Sport guarda algumas singularidades no visual em relação às demais. Na dianteira, as aberturas ficaram maiores e mais destacadas, com vincos mais pronunciados ao redor delas. A grade hexagonal abandona os filetes horizontais em favor de uma trama em formato de colmeia. Os adereços aerodinâmicos na base do para-choque também são exclusivos do Swift mais “quente”.

Gostou do novo Swift? A má notícia é que ainda não há definição se ele será importado para cá Ulisses Cavalcante/Quatro Rodas
Para-choque traseiro simula um grande extrator de ar e abriga a dupla saída de escape Suzuki/Divulgação

Na traseira, as alterações ficam ainda mais evidentes. Sai o para-choque liso e de superfícies arredondadas e entra um mais agressivo, com a saída dupla de escape e uma grande porção em preto que simula um extrator de ar. O aerofólio também é novo.

Versões mais “pacatas” como a da foto tem estilo discreto para um esportivo Ulisses Cavalcante/Quatro Rodas

De lado, além das saias, há novas e exclusivas rodas de 17 polegadas com acabamento diamantado e fundo preto brilhante. Outra exclusividade fica para o tom de amarelo da carroceria, presente apenas no Swift Sport e inspirada no modelo utilizado no Junior World Rally – uma espécie de campeonato de acesso do WRC (Campeonato Mundial de Rali).

Continua após a publicidade
Interior tem os esperados apliques em vermelho, que vão das peças plásticas do painel, às costuras no volante Suzuki/Divulgação

Internamente, o hot hatch recebe todas as mudanças esperadas para um carro de vocação esportiva. O vermelho está presente em diversos pontos da cabine, como em partes do painel e das portas, nas costuras dos bancos e do volante, além do fundo do conta-giros. Porém, faltou uma forração escura nas colunas e no teto, que mantém o padrão claro das demais configurações.

A lista de equipamentos de série inclui central multimídia com Android Auto, Apple CarPlay e MirrorLink, alerta para mudanças involuntárias de faixa, piloto automático adaptativo, faróis com facho alto automático, alerta de distância do veículo à frente com frenagem automática, monitoramento de pressão dos pneus, controles de estabilidade e tração e seis airbags.

Swift Sport agora tem motor 1.4 turbo de 140 cv sempre acompanhado de um câmbio manual de seis marchas Suzuki/Divulgação

Mas é na mecânica que o Swift Sport guarda suas principais novidades. O motor 1.6 aspirado de 136 cv e 16,4 mkgf de torque deu lugar a um novo 1.4 turbo de 140 cv e 23,5 mkgf. Já o câmbio é o mesmo utilizado na geração passada do modelo, um manual de seis marchas, porém com novos ajustes para se adaptar ao propulsor turbinado.

Dados sobre o desempenho não foram divulgados, mas considerando que o antigo Swift Sport R (com bem menos torque e mais pesado) acelerou de 0 a 100 km/h em 9,3 segundos no teste da QUATRO RODAS, podemos estimar um 0 a 100 km/h abaixo dos oito segundos – com o mesmo motor, o Suzuki Vitara cravou 8,3 segundos.

Continua após a publicidade

O grande atrativo do modelo, entretanto, sempre foi o comportamento dinâmico, não os números de performance. Os sistemas de suspensão também passaram por alterações para reforçarem a estabilidade e manterem o carro firme ao solo em curvas e altas velocidades.

Além do ganho de potência e torque, ele teve uma redução de peso de 80 kg. Com isso, agora o compacto pesa 970 kg, graças à nova estrutura mais leve, rígida, com melhor dispersão de energia e mais pontos de solda.

Além das alterações estruturais, o Swift passou por mudanças na suspensão e na transmissão para ficar mais divertido e seguro Suzuki/Divulgação

Procurada pela reportagem de QUATRO RODAS, a assessoria de imprensa da Suzuki do Brasil afirmou que ainda não há uma definição de quando (e se) o novo Swift será vendido no mercado brasileiro. Lançada em 2014, a atual geração do compacto deixou de ser importada para cá há alguns meses, quando os estoques do modelo se esgotaram.

Publicidade