Volkswagen T-Roc: o SUV compacto que a VW fará no Brasil

Com medidas compactas e opção de motor 1.0, T-Roc chega ao Brasil em 2018 para concorrer com HR-V, Renegade e Creta

Dianteira adota uma pouco comum luz diurna que contorna as falsas entradas de ar do para-choque (Divulgação/Volkswagen)

A onda de lançamentos que a Volkswagen promoverá mundialmente nos próximos anos ganhou mais um capítulo nesta quarta (23) com o T-Roc, primeiro SUV compacto da marca – que já avaliamos com exclusividade.

O modelo adota a plataforma modular MQB e terá opção de motor 1.0, câmbio manual e suspensão traseira por eixo de torção para disputar o segmento abaixo do Tiguan.

Para o Brasil, no entanto, a marca poderá reservar pacotes mecânicos e de acabamento superiores visando ganhar a clientela de Jeep Compass e Honda HR-V.

O T-Roc será disponibilizado com três opções de motor a diesel e três a gasolina, todos turbo. A gama de Ciclo Otto é composta pelo 1.0 três-cilindros de 115 cv (usado por aqui no Up! e Golf), pelo 1.5 de 150 cv (que pode estrear no Brasil com o Golf reestilizado) e pelo 2.0 de 190 cv usado no Audi A4.

As opções turbodiesel são um 1.6 de 115 cv e um 2.0, que pode gerar 150 ou 190 cv.

Tampa do porta-malas cortada por vincos inclui lanterna bipartida (Divulgação/Volkswagen)

Neste primeiro momento a marca revelou que o câmbio poderá ser manual de seis marchas ou robotizado de dupla embreagem e sete marchas, com opção de tração dianteira ou integral.

Os T-Roc com sistema 4Motion terão, além da opção de alterar o perfil de condução, um comando rotativo no console para escolher a configuração mais adequada para quatro tipos de piso. O pouco discreto botão (abaixo da alavanca de câmbio) tem o mesmo conceito do sistema usado pelo Peugeot 2008 e Jeep Renegade.

Interior tem peças pintadas na cor da carroceria. Painel e sistema multimídia digitais são opcionais (Divulgação//Volkswagen T-Roc: o SUV compacto que a VW fará no Brasil/Quatro Rodas)

Dependendo do tipo de tração, a suspensão traseira poderá ser por eixo de torção ou multibraço. Amortecedores ajustáveis serão oferecidos como opcionais, assim como uma vasta gama de equipamentos, como controlador de velocidade adaptativo, leitor de placas e assistente de farol alto.

Nos principais mercados o T-Roc terá ESC e frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres de série.

Encurtado

Modelo poderá ter teto bicolor e teto-solar elétrico (Divulgação/Quatro Rodas)

O interior terá apliques coloridos pintados com o mesmo tom da carroceria, como no Up!. O quadro de instrumentos opcionalmente poderá ser digital, assim como o novo sistema multimídia com tela de 8 polegadas. Ambos os sistemas são iguais aos que vão estrear no novo Polo nacional.

Coluna C em dois tons com elementos cromados repete solução usada no Audi Q2 (Divulgação/Quatro Rodas)

Dentro da Volkswagen, no entanto, o T-Roc está, pelo menos nas medidas, mais próximo do Golf, apesar do entre-eixos menor. Compare o tamanho do modelo com outros modelos da Volkswagen e seus principais rivais no Brasil:

Medidas\Modelo Golf Tiguan Allspace T-Roc Honda HR-V Jeep Compass Hyundai Creta
Comprimento (m) 4,25 4,70 4,23 4,29 4,42 4,27
Largura (m) 1,79 1,84 1,82 1,77 1,82 1,78
Altura (m) 1,47 1,65 1,57 1,59 1,64 1,63
Entre-eixos (m) 2,63 2,79 2,60 2,61 2,64 2,59

Nova geração do painel digital é superior à que estreou no Audi TT (Divulgação/Volkswagen)

No Brasil o Volkswagen T-Roc será o segundo SUV de uma ofensiva tripla da marca no segmento. Ele chegará em 2018, após o Tiguan Allspace (para até sete passageiros). Por último virá o T-Cross, que ficará na base da gama (em porte e preço) de utilitários da marca no país.

Maior largura pode refletir em um melhor espaço para três adultos no banco traseiro (Divulgação/Quatro Rodas)

O T-Roc será fabricado em São José dos Pinhais (PR), onde já são produzidos outros dois modelos com plataforma MQB: Golf e A3 Sedan. A nacionalização permitiria ao modelo ter um bom posicionamento de preços, situando-se entre R$ 90 mil e R$ 130 mil.

Essa faixa de valores o colocaria em pé de igualdade com os líderes do segmento e evitaria concorrência com Audi Q3 e o Tiguan Allspace.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. EDUARDO MARTINS DOS REIS

    Detalhe para as pedaleiras padrão Audi.

  2. eduardo Pinheiro

    Não é tão comum a vw acertar no design, mas esse ficou bem bonito e se vier como está na foto estaria entre os meus escolhidos.

  3. Isidorio Araujo da Silva

    Achei a traseira do novo carro da WOLKSWAGEM muito quadrada até parece com o velho gol dos anos 1980.

  4. Fernando Sobolwsky

    Interior horrivel, querer disputar mercado com Jeep Compass, soa como piada, já tem o Tiguan que é um fracasso total de vendas.