Clique e assine com até 75% de desconto

Toyota revela dados de potência do novo Corolla híbrido flex nacional

Bebendo só etanol, motor 1.8 quatro-cilindros de ciclo Atkinson renderá 3 cv a mais do que o Prius; sedã começa a ser produzido em agosto

Por Leonardo Felix Atualizado em 26 jul 2019, 19h01 - Publicado em 26 jul 2019, 17h48
Versão do Corolla vendido na Europa tem visual conservador em relação ao americano (abaixo) Divulgação/Toyota

A Toyota começa a preparar o consumidor brasileiro para a chegada do novo Corolla. Afinal, conforme antecipado por nossa reportagem, a 12ª geração do sedã será produzida em Indaiatuba (SP) a partir de agosto.

O lançamento ocorrerá em setembro, com chegada às lojas até outubro.

Até um hotsite do modelo foi criado, o que inclusive confirmou nossas apurações de que o visual seguirá o padrão do novo Corolla europeu, que QUATRO RODAS já avaliou.

Plataforma TNGA emprestada do Prius deixará o sedã mais baixo e largo Divulgação/Toyota

A grande novidade estará na estreia da configuração dotada de um inédito propulsor híbrido flex, ou seja: capaz de beber gasolina ou etanol, ao mesmo tempo em que é auxiliado por um motor elétrico.

Nesta semana, o tal hotsite foi atualizado com uma informação bastante importante: os dados de potência do motor quatro-cilindros 1.8 de ciclo Atkinson que equipará o Corolla híbrido flex brasileiro.

A parte a combustão do motor híbrido flex do Corolla Divulgação/Toyota

Segundo a Toyota, a usina a combustão, em si, gerará 101 cv quando abastecida com etanol, 3 cv a mais do que o Prius rende com a mesma unidade. Assim, muito provavelmente a potência seguirá os já conhecidos 98 cv com gasolina.

Continua após a publicidade

Já o motor elétrico mantém os 72 cv já vistos no Prius.

Embora a potência combinada não tenha sido revelada, é possível prever que o Corolla híbrido flex chegará a 125 ou 126 cv com o combustível vegetal, sustentando os mesmos 123 cv do Prius quando abastecido com o derivado do petróleo.

Novo Corolla vem sendo flagrado quase sem camuflagem no Brasil Guilherme Barbosa/Quatro Rodas

Também não há dados de torque, mas novamente o Prius, com seus 14,2 mkgf (combustão) e 16,6 mkgf (elétrico), serve de norte para prevermos que o dado pode se aproximar de 14,5 mkgf com etanol.

Vale lembrar que a Toyota não divulga torque combinado de seus veículos híbridos.

  • Os índices passam longe de ser empolgantes, mas vale observar que o foco do sedã será eficiência energética.

    Além disso, temos o Prius em nossa frota do Longa Duração e seu desempenho em viagens passa longe de ser ruim, indicando que o Corolla híbrido flex também deve ser suficiente (não mais do que isso) para tal.

    Continua após a publicidade
    Publicidade