Clique e assine por apenas 5,90/mês

Hongqi S9 tem 1.400 cv e será o carro chinês mais caro do mundo

O bólido fará de 0 a 100 km/h em 1,9 segundos e será vendido a partir de 2021 limitado a apenas 70 unidades

Por Isadora Carvalho - Atualizado em 2 set 2020, 12h44 - Publicado em 2 set 2020, 12h42
O híbrido chinês terá 1.800 cv Hongqi/Divulgação

A Hongqi é conhecida na China pelos carros de luxo – pelo menos para o padrão dos carros locais – e por ser um simbolo de status no país. O próximo passo da marca, que pertence ao Grupo FAW, é entrar no mercado de superesportivos.

Será com o Hongqi S9, um híbrido que já foi apresentado como conceito em alguns salões. O seu visual tem formas aerodinâmicas e curvas, com estranhos faróis que dominam frente, cockpit baixo totalmente envidraçado e generoso spoiler a coroar a traseira.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

A novidade é que agora ele tem especificações mais consistentes. Por exemplo, seu motor será um V8 biturbo que, com a ajuda de motores elétricos, alcançará os 1.400 cv.

Sua carroceria é toda feita em fibra de carbono Hongqi/Divulgação

A força imediata dos motores elétricos é implacável. E o alívio de peso proporcionado pela carroceria e pelas rodas feitos de fibra de carbono só ajudam a justificar os números de desempenho esperados para o Hongqi S9: 0 a 100 km/h em apenas 1,9 segundo e velocidade máxima de 400 km/h.

Continua após a publicidade
Hongqi/Divulgação

Se a versão final cumprir estes números, o S9 será capaz de superar modelos como Bugatti Chiron e o Hennessey Venom F5, considerado o carro mais rápido do planeta. 

Também periga de superá-los nos preços. O Hongqi S9 terá produção limitada a 70 unidades e cada um custará 10 milhões de yuans, cerca de R$ 7 milhões. Será o carro mais caro vendido na China, de longe.

O bólido deve alcançar 0 a 100 km/h em 1,9 segundos Hongqi/Divulgação

Até porque ele está desbancando o Hongqi L5, um sedã luxuoso que custa a metade deste S9: 5 milhões de yuans.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

 

Fernando Pires/Quatro Rodas

 

Continua após a publicidade
Publicidade