Clique e assine por apenas 8,90/mês

Philippe Thiriet, mais um brasileiro no grid?

Piloto pode ser mais um brasileiro no Mundial de Motovelocidade em 2012

Por Eduardo Zampieri - Atualizado em 9 nov 2016, 11h55 - Publicado em 6 dez 2011, 12h24
Philippe Thiriet

Com Eric Granado já confirmado no Mundial de Moto2, a partir do meio da próxima temporada, quando completa a idade mínima exigida pela Federação Internacional de Motociclismo para alinhar no grid, agora é Philippe Thiriet que tem chances de conseguir uma vaga na mesma categoria.

O piloto acaba de retornar da Espanha onde teve o primeiro contato com uma moto da categoria Moto2 com a qual poderá disputar o Mundial em 2012. A moto é um projeto da Bottpower que já foi campeã no CEV (Campeonato Espanhol de Motovelocidade). A ideia inicial é disputar o campeonato espanhol e algumas etapas do Mundial como “wild card”.

Se depender da determinação de “Pepito” – como é conhecido – o patrocínio brasileiro que ainda lhe falta virá e tudo dará certo. Thiriet dá mais detalhes dessa experiência:

Quanto custa a brincadeira?

Continua após a publicidade

A partir de 100.000 euros, pois depende do tanto de treinos que eu consiga fazer. Além disso, mais 180.000 euros para cobrir os custos das etapas do Mundial.

O que você sentiu da moto? Potência, ciclística, freio, suspensão…

A moto é fantástica. Nunca pilotei nada igual. Faz muita curva e deita muito. Claro que a potência não é como das STK1000, afinal a Moto2 tem só 600cc, mas o mapeamento do motor é gostoso, o RPM crescia junto com o movimento da mão, bem limpo e sem “buracos”. Já os freios eu nem sei como descrever direito. Nunca achei que um motocicleta poderia frear tanto. A suspensão é uma KI-TECH de fábrica, inglesa muito utilizada na SBK também e já equipou motos campeãs do mundo recentemente.

Dá para andar na frente com esse equipamento?

Continua após a publicidade

Com certeza.

Quando teremos uma resposta oficial e a certeza de que você estará lá em 2012?

Tudo agora depende do meu Projeto de Lei de Incentivo ao Esporte. Já tenho empresas interessadas e de resto está tudo encaminhado para participar do CEV e das etapas do mundial a que tenho direito como “convidado”. Espero que nas primeiras semanas de janeiro eu já tenha uma posição.

Publicidade