Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Otimista, Nissan deve fabricar SUV Kicks em 2016

Marca projeta conquistar 5% do mercado em dois anos

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 14h27 - Publicado em 16 abr 2015, 14h15
fabricantes

As baixas vendas da indústria automotiva em 2015 não abalaram o otimismo da Nissan. Pelo menos é o que afirma o presidente da Nissan Brasil, François Dossa. “Estamos otimistas quanto ao crescimento da marca no país neste ano, tanto que pretendemos chegar a 3% de participação de mercado em 2015”, declarou o executivo, que assegurou que a estratégia de atuação da Nissan segue a mesma por aqui.

A empresa, que reiterou o compromisso anunciado em 2011 de investir R$ 2,6 bilhões no país, prometeu reforçar a qualidade de seus produtos e ampliar o número de concessionárias em 25%. Neste planejamento, a planta de Resende (RJ) também exerce papel fundamental. Inaugurada há exatamente um ano, a fábrica atualmente produz os modelos New March e Versa, bem como os motores 1.0 de três cilindros e 1.6 16V que equipam os veículos. Questionado sobre eventuais demissões, Dossa não só rechaçou a possibilidade como disse que a Nissan pode realizar novas contratações, já que pretende chegar a 1.800 empregados na linha de montagem – atualmente são 1.600 funcionários trabalhando no local.

Dossa também revelou que a montadora está de olho no crescimento do segmento de SUVs compactos, impulsionado nos últimos meses com as chegadas de Honda HR-V, Jeep Renegade e Peugeot 2008, e admitiu que a Nissan deve entrar na briga com a versão final do conceito Kicks, apresentado no último Salão do Automóvel de São Paulo. “Ainda não posso dizer se vamos fabricar este modelo ou não, mas posso antecipar que a Nissan patrocinará os Jogos Olímpicos em 2016 no Rio de Janeiro, e o evento será uma ótima oportunidade de mostrarmos nossos produtos ao mundo”, despistou. O discurso de Dossa segue as declarações de José Luis Valls, CEO da Nissan América Latina, que revelou a QUATRO RODAS durante o Salão de Detroit que o Kicks seria fabricado no máximo até 2016. Com todas estas providências, a Nissan espera abocanhar 5% do mercado nacional em dois anos.

Publicidade