Clique e assine por apenas 5,90/mês

Novo Mercedes Classe G fica mais Nutella sem deixar de ser raiz

Marca optou por manter visual retilíneo do rústico SUV, mas recheou a última geração com tecnologia de ponta

Por Rodrigo Ribeiro - Atualizado em 15 jan 2018, 16h54 - Publicado em 15 jan 2018, 09h06
Não parece, mas essa é a nova geração do Mercedes Classe G Divulgação/Mercedes-Benz

O Mercedes Classe G é, dentro da gama da marca, quase uma ovelha negra. Seu design feito com esquadros tem mais ângulos retos do que um carro desenhado por uma criança.

O pisca-alerta frontal parece oriundo de um conhecido Volkswagen e as calhas no teto remetem à antiga solução para se juntar as chapas da carroceria. E, por mais estranho que pareça, a nova geração do Classe G manteve tudo isso.

Na carroceria, as pistas da são pequenas, mas estão espalhadas pelo aspecto de caixa metálica que sempre marcou o G. Os faróis agora são de led, os para-choques escondem os sensores do sistema de estacionamento automático e as maçanetas possuem sensores para o sistema de entrada e partida do motor sem chave.

As pequenas lanternas horizontais agora são de LED. Estepe segue fixo no porta-malas
As pequenas lanternas horizontais agora são de LED. Estepe segue fixo no porta-malas Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

No texto de divulgação do carro, porém, a marca se concentra na vocação off-road do modelo, que, segundo a Mercedes, está mais robusto do que nunca.

O suspensão (de braços sobrepostos na dianteira e de eixo rígido na traseira) foi atualizada para melhorar o isolamento de ruídos e vibrações sem abrir mão de generosas medidas para o fora-de-estrada. São 31º de ângulo de entrada, 30º de saída e 24,1 cm de altura livre do solo.

Continua após a publicidade
Painel renovado pode receber, nas versões topo de linha, duas telas customizáveis Divulgação/Mercedes-Benz

Os três tradicionais diferenciais (dianteiro, traseiro e central) totalmente blocantes com reduzida agora são acoplados ao novo câmbio automático de nove marchas da Mercedes.

O primeiro motor que equipará o novo Classe G será um V8 4.0 biturbo a gasolina de 421 cv e 62,1 mkgf de torque. Durante o lançamento, no entanto, o presidente da Mercedes, Dieter Zetsche, indicou que a marca poderá lançar um inédito Classe G com motorização elétrica.

O espaço interno foi ampliado para todos os ocupantes. Haverá opção por bancos de couro e sistema de som premium Divulgação/Mercedes-Benz

Passa por cima

O sistema que alterna modos de condução do SUV ganhou um exclusivo programa chamado apenas de “G”. Ele aciona automaticamente a reduzida e altera a configuração do motor, câmbio, acelerador e amortecedores para permitir que o condutor supere obstáculos que fariam outros modelos sequer saírem do lugar.

Os três botões que bloqueiam os diferenciais estão entre as saídas de ar. Painel é totalmente digital, como nos novos Mercedes Divulgação/Mercedes-Benz

A nova geração também ficou mais comprida e larga, possibilitando um ganho de 15 cm para os joelhos de quem viaja no banco traseiro. Mas não espere o conforto de outros SUVs.

O foco do Classe G é ser o bastião da época que os utilitários se destacavam pela versatilidade de passar por um buraco, e não pela facilidade de estacionar no shopping.

Os faróis agora incorporam as luzes de condução diurna e usa apenas LEDs Divulgação/Mercedes-Benz
A marca não comenta, mas é possível que o modelo ganhe uma variante AMG em breve
A marca não comenta, mas é possível que o modelo ganhe uma variante AMG em breve Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

A nova geração do G chegará aos EUA e Europa ao longo de 2018. O modelo poderá ser uma das atrações da Mercedes no Salão do Automóvel de São Paulo, mas ainda não há data para sua chegada ao país.

Continua após a publicidade
Publicidade