Novo Kia Cerato chegará ao Brasil em 2019

Importado do México, o modelo ficou maior e mais equipado, mas deverá manter o atual motor 1.6 16V

Sedã médio tem dianteira inspirada no esportivo Stinger

Sedã médio tem dianteira inspirada no esportivo Stinger (Divulgação/Kia)

Apresentado no Salão de Detroit, em janeiro, o novo Kia Cerato já está em produção no México, de onde o modelo é importado desde o final de 2016.

Não por acaso, o sedã médio está cotado para estar entre as principais atrações da Kia marca no Salão do Automóvel ao lado do esportivo Stinger (que já testamos no Brasil) e do SUV compacto Stonic.

Lanternas traseiras de leds são integradas entre si

Lanternas traseiras de leds são integradas entre si (Divulgação/Kia)

Mas, enquanto o Stinger será lançado antes mesmo do evento, o sedã médio ficará para 2019. O Stonic sequer tem previsão de data para ser vendido no Brasil.

O novo Cerato tem faróis (full led) alongados na direção dos para-lamas e setas independentes, posicionadas logo abaixo. A nova dianteira foi inspirada no Stinger.

Por ser uma reestilização profunda, Cerato teve seu entre-eixos de 2,70 m mantido

Por ser uma reestilização profunda, Cerato teve seu entre-eixos de 2,70 m mantido (Divulgação/Kia)

Atrás, as lanternas de led passam a ser integradas entre si. Já as luzes indicadoras de direção desceram para o para-choque, como no SUV Sportage.

O interior está completamente diferente, com linhas horizontais e simétricas. O quadro de instrumentos foi inspirado no sedã esportivo Stinger, bem como a tela sensível ao toque de 8 polegadas destacada no topo do painel. O aparelho é compatível com Apple CarPlay e o Android Auto.

Painel é todo novo e tem central multimídia em destaque na parte superior

Painel é todo novo e tem central multimídia em destaque na parte superior (Divulgação/Kia)

Além disso, o Cerato está maior. São 8,1 cm a mais no comprimento, passando aos 4,64 m. Mas o entre-eixos foi mantido em 2,70 m. O sedã tem 1,44 m de altura (1,3 cm a mais que antes) e segue com 1,80 m de largura.

No México, é vendido com o mesmo conjunto oferecido nos Estados Unidos, que promete maior eficiência. Trata-se do motor 2.0 ciclo Atkinson de 147 cv, que equipava a versão híbrida do Optima, e está combinado a um novo câmbio automático CVT.

Em mercados da América do Sul onde já é vendido, porém, o novo Cerato continua com o 1.6 16V usado hoje no Brasil, mas só a gasolina, com 126 cv (2 cv menos que o flex). O câmbio, neste caso, é o automático de seis marchas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Gregorio Ribeiro Junior

    É impressionante… um sedã bonito desses, com o velho motor 1.6 do HB 20… O importador poderia, ao menos, oferecer a versão 2.0 como opcional.

  2. FÁBIO VALÉRIO GONÇALVES

    O cerato vendido atualmente no Brasil não é apenas Gasolina, é Flex!!!