Clique e assine por apenas 5,90/mês

Nissan Frontier troca México pela Argentina e terá novas versões

Primeiras unidades fabricadas em Córdoba chegam em novembro; versão Attack será uma das novidades

Por Henrique Rodriguez - 3 ago 2018, 16h04
Picape da Nissan será fabricada junto da Renault Alaskan e da Mercedes Classe X Divulgação/Nissan

Desde março de 2017 a Nissan Frontier chega ao Brasil importada do México. Isso mudará em novembro, quando desembarca o primeiro lote importado da Argentina. Com essa mudança de origem a picape média terá novas versões.

A produção no país vizinho começou nesta semana. A fábrica de Córdoba, na Argentina, é a mesma que produzirá a Renault Alaskan e a Mercedes Classe X (que pode ser vista parcialmente nas fotos divulgadas pela Nissan), que são derivadas da mesma base mecânica.

Mercedes Classe X aparece atrás da Nissan fotografada Divulgação

Hoje, a Frontier é vendida no Brasil nas versões, SE e LE, que custam R$ 152.390 e R$ 169.700, respectivamente. O motor é sempre o 2.3 turbodiesel de 190 cv e 45,9 kgfm de torque combinado com câmbio automático de sete marchas e tração 4×4 com reduzida. 

A princípio, o conjunto mecânico será mantido nas unidades argentinas. Mas versões com câmbio manual, tração 4×2 e rodas de aço devem tornar a Frontier mais acessível.

Versões com visual mais simples e lista de equipamentos mais enxuta devem chegar ao Brasil Divulgação/Nissan

Por outro lado, há espaço para versões mais caras, com mais do que apenas dois airbags e rodas com mais do que 16 polegadas.

Continua após a publicidade

Uma versão que está nos planos é a Attack, opção intermediária na geração anterior da picape. Ela foi antecipada por versão conceito no Salão de Buenos Aires de 2017, mas será produzida com design menos extravagante.

Pintura bicolor não deverá permanecer na versão de produção da Attack divulgação/Nissan

O que está descartado é motor a gasolina, que a picape nunca teve no Brasil.

Fábrica da Aliança

As duas últimas gerações da Nissan Frontier foram produzidas no Paraná. Desta vez, porém, a Aliança Renault Nissan resolveu explorar o mesmo projeto com suas marcas e com a parceira Mercedes-Benz.

A fábrica de Córdoba tem capacidade para produzir 70 mil unidades por ano de Nissan Frontier, Renault Alaskan e Mercedes Classe X. A picape Nissan responderá por 30 mil unidades e, destas, 15 mil serão destinadas ao Brasil anualmente.

À frente da Frontier, a Classe X Divulgação/Nissan

Sinal de que a Nissan espera um bom crescimento nas vendas da picape, que até julho teve 3.885 unidades emplacadas.

As três picapes deverão concorrer entre si, mas é esperado que a Alaskan tenha versões ainda mais baratas e simples. Por outro lado, a Classe X terá desde versões de trabalho até a luxuosa X350d Power com motor V6 3.0 turbodiesel de 258 cv.

Continua após a publicidade
Publicidade