Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Morre Carlos Alberto de Oliveira Andrade, fundador da Caoa, aos 77 anos

Fundador do Grupo Caoa, representante de Hyundai, Subaru e Caoa Chery, morreu em São Paulo aos 77 anos

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 8 set 2021, 06h43 - Publicado em 14 ago 2021, 09h59
Carlos Alberto de Oliveira Andrade, fundador da Caoa
Carlos Alberto de Oliveira Andrade, fundador da Caoa Hyundai CAOA/Reprodução

Carlos Alberto de Oliveira Andrade, o Dr. Caoa e fundador do Grupo Caoa, morreu na manhã deste sábado aos 77 anos.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

“Dr Carlos estava com a saúde debilitada por conta de um tratamento de saúde e faleceu durante o sono ao lado de sua esposa e filhos”, afirma nota divulgada pela diretoria da Caoa.

O Grupo Caoa continuará sendo gerido pelos atuais executivos da empresa. Ele ocupava o cargo de presidente do Conselho de Administração do Grupo Caoa.

“A família Hyundai envia nossas mais sinceras condolências à família e aos colaboradores de Carlos Alberto de Oliveira Andrade. Como fundador da CAOA, nossa parceira de negócios no Brasil por mais de 20 anos, Dr. Carlos deixa um grande legado para a indústria automobilística brasileira. Sua liderança visionária contribuiu para a introdução da marca Hyundai no País e ainda continuava atuante em nossa presença local. Nossos sentimentos e orações estão com sua família”, comenta Ken Ramirez, presidente e CEO da Hyundai Motor no Brasil e nas Américas Central e do Sul.

Caoa fundou um dos maiores grupos automobilísticos do Brasil, que nasceu da compra de uma concessionária Ford em Campina Grande (PB). Ele havia adquirido um Ford Landau, mas a concessionária faliu e, mesmo formado em medicina pela Universidade Federal de Pernambuco, resolveu comprar a concessionária como forma de compensar a perda do dinheiro pago pelo carro.

Continua após a publicidade

Isso foi em 1979. Seis anos depois, a Caoa se tornava a maior revendedora Ford do Brasil. O Dr. Caoa chegou a aceitar tijolos e até cabeças de gado como pagamento pelos carros e, assim, ganhou fama no nordeste brasileiro. Em 2006 era o maior concessionário Ford da América Latina.

chery_tiggo_5x_
Tiggo 5X é o carro mais vendido da Caoa Chery no Brasil, mas muda em breve Divulgação/Chery

Em 1992 a Caoa passou a ser representante da Renault no Brasil, o que durou até 1998 quando a fabricante francesa assumiu as operações. Nesse interim, passou a representar a Subaru e poucos anos depois assumiu as operações da Hyundai. Hoje as duas marcas estão de lado, com oferta de modelos minguada e desatualizada.

Nos últimos anos o Grupo concentrou seus esforços na Caoa Chery. No final de 2017 o Grupo Caoa comprou a metade das operações da Chery no Brasil, investindo em reposicionamento da marca, novas concessionárias e, como já fazia antes com a Hyundai, em muita publicidade na televisão e na mídia impressa. Conta-se que Carlos Alberto participava ativamente do processo de criação das peças publicitárias.

Por pouco, o maior representante Ford do Brasil não comprou a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP). O Grupo Caoa ainda teria avaliado a compra da fábrica da Ford em Camaçari (BA). Seria uma volta e tanto na história.

Contudo, em maio o Grupo alcançou um feito: emplacou mais carros novos, com a Chery, do que a marca que representou por mais de 40 anos.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

Edição de julho

Continua após a publicidade

Publicidade