Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Montadoras desaprovam aumento de etanol anidro na gasolina nacional

Medida vislumbrada pelo governo afetaria carros sem motor flex

Por Redação Atualizado em 9 nov 2016, 13h44 - Publicado em 5 jun 2014, 18h59
mercado

O governo federal tem especulado a mudança na porcentagem de etanol anidro adicionado à gasolina de 25% para 27,5%. A proposta chegou a ser inserida numa medida provisória apresentada ao Congresso, mas foi excluída do texto durante a votação.

Cientes desse cenário, as montadoras automotivas admitiram que não aprovam um eventual acréscimo do biocombustível à gasolina vendida no País. Falando à Agência Reuters, Luiz Moan, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), disse não achar conveniente esse tipo de alteração.

Moan destaca o fato de que 42% dos veículos que circulam por aqui são movidos por motores que rodam exclusivamente com gasolina. Ao contrário dos blocos flexíveis, que aceitam qualquer proporção de etanol e gasolina, eles não estão preparados para receber uma mistura com taxas maiores do biocombustível, sob pena de ter um desgaste mais rápido do que seria esperado.

Continua após a publicidade

Publicidade