Clique e assine por apenas 6,90/mês

Mitsubishi Pajero Sport ajeita pontos polêmicos logo após chegar ao Brasil

Com reestilização apresentada na Ásia, SUV se alinha aos lançamentos mais recentes da marca e corrige, em partes, a traseira controversa

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 26 jul 2019, 18h09 - Publicado em 26 jul 2019, 17h06
Dianteira concentra boa parte das mudanças do modelo Divulgação/Mitsubishi

O Mitsubishi Pajero Sport já mudou de visual lá fora – e nós avisamos que isso aconteceria. Eis que o modelo finalmente foi revelado por completo no mercado tailandês.

Não foi desta vez que o SUV perdeu aquelas lanternas polêmicas na traseira, mas pelo menos elas já não estão expostas como antes, graças ao para-choque mais bojudo.

Há novos nichos para luzes auxiliares e grade com três filamentos Divulgação/Mitsubishi

Se você pensou que os projetistas economizaram tempo colocando a mesma dianteira da nova L200 Triton Sport, que deverá chegar ao Brasil até o fim de 2020, está enganado.

Lanternas agora já não são tão baixas quanto antes Divulgação/Mitsubishi

Apesar das semelhanças com a picape, o Pajero Sport tem detalhes próprios (ainda que sejam bem difíceis de perceber). Nas laterais, não há mudanças além das rodas.

Continua após a publicidade
Tampa traseira continua exatamente igual a antes Divulgação/Mitsubishi

As novidades são ainda mais sutis dentro: toda a parte central do painel foi redesenhada para receber o sistema multimídia e há um novo quadro de instrumentos digital.

Painel recebeu nova parte central para acomodar sistema multimídia Divulgação/Mitsubishi

Se o pacote de equipamentos já oferecia controle de velocidade adaptativo e alerta de ponto cego, agora o SUV tem assistente de mudança de faixa e de tráfego cruzado.

O conjunto mecânico continua exatamente igual ao do modelo vendido por aqui atualmente, com motor 2.4 turbodiesel de 190 cv e câmbio automático de oito marchas.

E como dissemos anteriormente, não espere pela chegada da novidade tão cedo, pois o Pajero Sport só desembarcou no nosso país em 2019, após quatro anos de atraso.

Publicidade