Land Rover desenvolve transmissão de dupla embreagem para uso off-road

Conjunto pode estrear em 2018 na nova geração do Defender

Transmissão de dupla embreagem da Land Rover Transmissão de dupla embreagem da Land Rover

Transmissão de dupla embreagem da Land Rover (/)

A Land Rover está desenvolvendo uma transmissão automatizada de dupla embreagem focada no uso off-road. Com oito marchas, substitui a caixa de transferência por relações mais curtas nas primeiras marchas, garantindo disposição no uso off-road e menor consumo de combustível em relação a câmbios automáticos convencionais com conversor de torque.

LEIA MAIS:

>> Honda desenvolve câmbio de tripla embreagem e 11 marchas

>> Clássicos: Range Rover Classic

>> Guia de usados: Range Rover Evoque

Com o codinome Polar 3, o novo câmbio automatizado de dupla embreagem funciona como as outras caixas desse tipo: tem uma embreagem para marchas ímpares e outra responsável pelas pares. Entre as principais características, está o fato de simular reduzida nas primeiras marchas, enquanto as marchas intermediárias e mais altas serão as adequadas para a condução normal.

Outros carros que seguem este princípio são o Jeep Renegade diesel e do Renault Duster 4×4. Os dois substituiram a caixa de transferência pela primeira marcha mais curta. Mas o Renegade tem câmbio automático convencional, de nove marchas, enquanto o Duster tem um manual de seis marchas.  

Essa configuração de câmbio permite abandonar a caixa de transferência, uma transmissão à parte responsável por multiplicar o torque do motor quando necessário. É uma solução bem-vinda, já que a caixa de transferência é pesada e, em geral, obriga que o carro esteja parado para ser acionada. Na nova transmissão da Land Rover, isso não seria mais necessário.

O desempenho off-road será otimizado em conjunto com o conhecido sistema Terrain Response, que configura as respostas do motor, transmissão, suspensão, freios, de acordo com o terreno que se trafega. De quebra, o consumo pode ser reduzido em até 10%. 

É previsto que a nova transmissão da Land Rover aguente cerca 61 mkgf de torque, caindo como uma luva para o V6 3.0 de 258 cv e 61,2 mkgf de torque usado pelo Range Rover Vogue e pelo Dicovery 4, mas também poderia ser utilizada pelos motores quatro cilindros da família Ingenium. Para efeito de comparação, o câmbio DSG de dez marchas da Volkswagen, ainda em desenvolvimento, terá capacidade para suportar até 56 mkgf de torque.

Não há uma previsão de quando o novo câmbio da Land Rover fará sua estreia, mas não se espante caso ele só apareça ná próxima geração do mítico Defender, cujo lançamento é esperado para 2018.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s