JAC Motors anuncia fábrica em Goiás para fazer T40 e outro SUV

Marca investirá R$ 200 milhões para erguer planta até 2019; capacidade produtiva será de 35 mil carros por ano

Conjunto ótico moderno, com projetor e luz diurna de led Planta produzirá T40 e outro modelo ainda não definido

Planta produzirá T40 e outro modelo ainda não definido (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A JAC Motors pretende construir uma fábrica no estado de Goiás. O local do complexo industrial ainda não foi escolhido, mas a empresa adiantou que investirá R$ 200 milhões para erguer uma planta para fabricar 35 mil veículos por ano. A marca estima gerar 850 empregos diretos e indiretos.

O acordo foi formalizado pelo presidente da JAC Motors, Sergio Habib, e o governador de Goiás, Marconi Perillo.

Traseira lembra a do Hyundai ix35 Traseira do T40 lembra a do Hyundai ix35

Traseira do T40 lembra a do Hyundai ix35 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Dois modelos serão produzidos no país: o T40 e um outro SUV mantido sob sigilo – rumores apontam para a nova geração do T5. O início da produção está agendado para daqui a 24 meses, ou seja, no fim de 2019.

Fábrica na Bahia nunca saiu do papel

Perspectiva artística da fábrica da JAC em Camaçari (BA)

Perspectiva artística da fábrica da JAC em Camaçari (BA) (JAC Motors/Divulgação)

Esta não é a primeira vez que a JAC Motors planeja abrir uma fábrica no Brasil. Em agosto de 2011, a empresa anunciou um investimento de US$ 600 milhões para erguer uma planta em Camaçari, na Bahia.

As obras seriam iniciadas em 2012 e concluídas dois anos depois, quando a fábrica teria capacidade para produzir 100 mil veículos por ano.

Entretanto, a repentina alta de 30 pontos percentuais na alíquota do IPI acabou com os planos da JAC. Apenas empresas com índice de nacionalização superior a 65% estariam livres de pagar o imposto maior.

Um J3 foi enterrado no local da pedra fundamental em 2014

Um J3 foi enterrado no local da pedra fundamental em 2014 (JAC Motors/Divulgação)

Em setembro daquele ano, Habib manteve os planos de construção e suspendeu o planejamento poucos dias depois. No entanto, o executivo voltou a confirmar a fábrica e anunciou até quatro modelos que seriam produzidos por aqui – incluindo projetos desenvolvidos exclusivamente para o Brasil.

Em 2014, a JAC inaugurou a pedra fundamental do futuro complexo industrial na Bahia e enterrou um J3 em uma cápsula do tempo, juntamente com objetos da época, como uma lata de Coca-Cola e um iPhone.

Chineses saíram da sociedade

Dois anos depois, a montadora reviu suas previsões, informando que investiria R$ 200 milhões para produzir apenas 20 mil carros por ano, a partir de 2017.

Todo o capital investido seria do grupo SHC porque os chineses decidiram abandonar o projeto em 2015.

O planejamento inicial era de 66% de participação dos chineses no investimento e participação da fábrica, cabendo ao grupo SHC os 34% restantes.

No entanto, a crise brasileira e o atraso no início das obras foram determinantes para a saída dos chineses do negócio.

Antes da fábrica sair do papel, um novo revés abalou a JAC. Por ter anunciado a produção de carros no país, a JAC foi contemplada com uma isenção de até 4,8 mil carros por ano dos 30% do IPI.

Como o complexo jamais virou realidade, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) cancelou a habilitação da marca no Inovar-Auto. Com isso, a montadora foi condenada a devolver os incentivos aplicados aos veículos vendidos entre 2013 e 2014.

Em maio de 2017, a JAC desmentiu boatos de que deixaria o mercado brasileiro.

Procurada pela reportagem de QUATRO RODAS, a JAC disse que ainda não definiu com o governo como será realizada a devolução dos valores. Por enquanto, a única medida tomada foi o desenterramento do J3, agora guardado em um galpão da JAC.

Foco nos SUVs

O T5 tem boa aparência com traços modernos, mas ainda fica evidente o excesso de cromados e a desproporção entre as rodas e a carroceria T5 foi um dos modelos que marcam a nova filosofia da JAC com foco nos SUVs

T5 foi um dos modelos que marcam a nova filosofia da JAC com foco nos SUVs (Pedro Bicudo/)

Apenas no começo de 2017 é que a JAC anunciou uma nova estratégia para o país. Em vez de construir uma fábrica do zero, a empresa afirmou que alugaria um galpão pronto em Camaçari para produzir seus carros – antes da decisão de estabelecer-se em Goiás.

Ao mesmo tempo, a marca voltou seus esforços para o segmento de utilitários esportivos e lançou o T40, um hatch aventureiro classificado pela fabricante como um SUV. Ele se juntou aos atuais T5 e T6.

Flagrado sem disfarce nas ruas de SP, o T70 deve ser lançado no Brasil em 2018

Flagrado sem disfarce nas ruas de SP, o T70 deve ser lançado no Brasil em 2018 (Anônimo/Quatro Rodas)

Para 2018, a JAC prepara a chegada de novos modelos, como o T70, que concorrerá na faixa de R$ 100 mil com modelos como Jeep Compass e Chevrolet Equinox.

A presença dos chineses no Brasil, incentivada pela expectativa de que o programa Rota 2030 flexibilize a presença de marcas estrangeiras no país, teve outra notícia recente de impacto: a compra da operação brasileira da Chery pelo grupo CAOA, que hoje fabrica modelos Hyundai em Goiás.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. FRANCISCO RONDON

    A Jac optou pela melhor estratégia; cozinhar o frango lentamente até findar o prazo do InovarAuto. Enquanto isso, foi trazendo da china seus carros até finalizar o projeto do brasileiríssimo e excelente T40. E agora, está pegando de bandeja um ninho aconchegante e quase pronto deixado pela Mitsubishi prá botoar os seus ovos e gerar um monte de chinesinhos. Parabéns Jac, mandou bem!
    Quanto a devolver os incentivos aplicados aos veículos vendidos entre 2013 e 2014, estamos no Brasil… pizza para todos.