Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Indústria automotiva vive momentos opostos nos EUA e Europa

Enquanto mercado norte-americano tem alta de 8%, resultados fracos desanimam europeus

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 12h28 - Publicado em 4 jun 2013, 13h08
fabricantes

O mercado de automóveis nos Estados Unidos e na Europa passou por situações opostas em maio. Enquanto no mercado norte-americano as vendas cresceram 8% em maio deste ano, frente ao mesmo período do ano passado, os resultados no Velho Continente não foram tão animadores: o declínio nos resultados em alguns países passou dos 10% em maio.

As fabricantes de automóveis haviam alimentado a esperança de que a indústria apresentaria recuperação depois do crescimento de 3,8% apresentado em abril. Mas não foi o que aconteceu. Na Alemanha, o maior mercado de automóveis da Europa, a queda foi de 9,9%, segundo dados fornecidos pela filial alemã da Mazda. A França teve redução de 10,3%, dando continuidade a uma queda de 5,2% registrada em abril. Já a Itália amargou queda de 7,9% em maio, enquanto na Espanha o declínio foi de 2,6% no quinto mês do ano.

Se a situação não é nada animadora na Europa, o mesmo não se pode dizer dos Estados Unidos. Por lá as fabricantes têm motivos de sobra para sorrir. Todas as expectativas foram superadas com o incremento de 8% nas vendas de maio, se comparadas ao mesmo mês de 2012, segundo informou a consultoria Autodata Corp.

Com o incremento, as vendas totais chegaram a 15,3 milhões de veículos, de acordo com a Autodata. O resultado surpreendeu até mesmo os analistas de mercado, que esperavam um crescimento de 6%, o que resultaria em 15,1 milhões de automóveis vendidos.

Continua após a publicidade

Publicidade