Carros importados terão livre entrada no país e sem sobretaxa

Com o fim do Inovar-Auto em 31 de dezembro termina a cota de importação e o IPI majorado em 30 pontos percentuais

Não haverá mais limite de importação de modelos estrangeiros Não haverá mais limite de importação de modelos estrangeiros

Não haverá mais limite de importação de modelos estrangeiros (APPA/Divulgação)

Organização Mundial do Comércio (OMC) deu um prazo de 90 dias para o Brasil suspender o Inovar-Auto, de acordo com relatório divulgado nessa quarta-feira, 30.

A OMC considerou que o Inovar-Auto é um subsídio ilegal ao ferir as leis de livre comércio, afetando empresas estrangeiras de forma injusta.

Com o fim desse regime automotivo, em 31 de dezembro deste ano as determinações do programa deverão ser extintas. Desde outubro de 2012, o Inovar-Auto definiu que cada marca só poderia importar 4.800 carros por ano.

Até então, cada unidade que ultrapassasse esse limite seria sobretaxada em 30 pontos percentuais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

“A sobretaxação e as cotas de importação serão extintos na nova política automotiva, o Rota 2030. E assim garantiremos a isonomia tributária entre importadores e montadoras locais”, afirma a especialista do setor, Leticia Costa, sócia-diretora da Prada Assessoria.

A notícia deve ser comemorada por todos os consumidores de carros, pois, segundo especialistas do mercado, essa nova realidade irá contribuir para baixar os preços.

Outra vantagem será o desembarque de novos modelos importados.

Novos modelos a partir de 2018

Estilo agressivo, com direito à versão GT Com a nova política, novo Picanto deve chegar em meados de 2018

Com a nova política, novo Picanto deve chegar em meados de 2018 (divulgação/Kia)

Já estão certas para 2018 a nova geração do Picanto e as versões hatch e sedã do Rio. “Devemos trazer também um novo SUV compacto, o Optima GDI e o esportivo Stinger”, afirma José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors.

Sem a cota de importação, a JAC pretende se consolidar como uma marca focada em carros de grande porte. “Devemos começar a importar o T40 com câmbio CVT, uma picape média diesel 4×4, um SUV de grande porte, que devemos chamar de T70, e até um aventureiro de entrada, batizado de T20”, diz Sergio Habib, presidente da JAC Motors.

JAC T40 com câmbio CVT chega no primeiro trimestre de 2018

JAC T40 com câmbio CVT chega no primeiro trimestre de 2018 (JAC Motors/Divulgação)

Ele salienta que a partir de janeiro a JAC poderá a voltar a competir no mercado como fez em 2011, antes da entrada do regime automotivo.

Gandini, que também responde como presidente da Abeifa, associação das importadoras, afirmou em entrevista ao site AutoIndústria, que a perspectiva é dobrar a venda de importados no ano que vem e chegar a 60.000 unidades.

“Todo o benefício concedido pelo Inovar-Auto ficou restrito às montadoras instaladas no país, mas agora todos os atores da cadeia produtiva serão considerados”, diz Gandini.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Pedro Santos

    Medida super importante, para acabar com esse CARTEL das montadoras nacionais, que mesmo com a crise e desconsiderando o câmbio, reajustaram em média 30% o valor dos seus produtos, tornando quase que proibitivo a aquisição deste modelos.
    Um popular que custava em média 30 mil reais em 2016, custa hoje 50 mil reais e um carro média custando entre 80 e 100 mil reais enquanto que as picapes, ultrapassaram em muito os 120 mil reais. Um absurdo.

  2. Victor Coutinho Alves

    As concessionárias ” nacionais” aproveitaram bem esse tempo sem concorrência pra aumentarem absurdamente o preço dos carros e ainda colocar a culpa nos impostos. Vamos ver agora se com o novo cerato mais barato e outros vindo junto se o culpado são os impostos mesmo. Cabe agora o consumidor ter consciência dar um incentivo para as asiáticas.

  3. Fernando Gonçalves da Costa

    Comsumidor deve comemorar????? comemorar o quê????? pagar 40K num carro 1.0 basico pelado ?????PQP

  4. “A notícia deve ser comemorada por todos os consumidores de carros, pois, segundo especialistas do mercado, essa nova realidade irá contribuir para baixar os preços”.
    Apenas uma pergunta: Esses “especialistas” vivem no Brasil, por acaso?

  5. Zigfrietz Tazogh

    Os fabricantes chineses estão comemorando com certeza.

  6. so acredito vendo

  7. Antonio Carlos Roseira Teixeira

    Medida protecionista para as montadoras que tem medo da concorrência que oferece mais por menos. Tomara que a Tesla venha nos visitar. E que a China passe a fazer carros melhores, assim como os coreanos estão. Tem que botar a concorrência para sambar.

  8. Numa economia saudável e mais justa, quem põe o preço nos produtos é o consumidor (lei da oferta e procura). No Brasil é o governo que põe o preço em tudo.

  9. Alex Moreira

    A Chery já faz bons carros nacionais, a JAC vem melhorando seus carros. Com essa redução de imposto as importadoras vão poder trazer mais carros aumentando a concorrência. Sabemos que desde que começou essa taxação nos importados os preços dos carros “ditos” nacionais dispararam, abuso total dessas montadoras. Esperamos que a concorrência abra os olhos e venham com bons preços, porque sabemos que têm margem para baixar sim. Tenho um Chery Celer e estou muito satisfeito com o carro, que venha os China porque o que importa é dinheiro no bolso.