Clique e assine por apenas 8,90/mês

Honda registra sedã maior que o Civic no Brasil

Novo Crider usa plataforma do City, tem mais de 4,75 m de comprimento e usa motor turbo

Por Rodrigo Ribeiro - 25 set 2018, 12h57
O Crider tem visual inspirado no novo Accord INPI/Internet

Um Honda misterioso surgiu no último documento público do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) nesta semana. Apesar das linhas similares à do Accord, o novo Crider tem origem bem mais simples: sua plataforma é uma versão alongada da usada no City.

Mesmo assim, o sedã desenvolvido para o mercado chinês tem medidas impressionantes. São 4,756 m de comprimento, 1,804 m de largura e 2,73 m de entre-eixos. Como referência, o Civic tem 4,64 m, 1,799 m e 2,70 m, respectivamente.

Boa parte do alongamento da plataforma ocorreu entre o eixo traseiro e coluna B INPI/Internet

O Crider é tão grande que uma extensão do apoio de braço central do banco traseiro cria uma divisão similar à de modelos de luxo de quatro lugares, como o Mercedes-Benz S 560 L.

As versões mais caras podem receber faróis em leds Divulgação/Honda

Alguns de seus equipamentos foram herdados do Civic, como os faróis totalmente em LEDs (opcionais), sistema de monitoramento de ponto cego do lado direito e painel parcialmente digital.

A traseira tem lanternas bipartidas, como no Civic Divulgação/Honda

A segunda geração do Crider também adota motor turbo, mas com cilindrada menor. O sedã adota um 1.0 sobrealimentado de 122 cv e 17,6 mkgf, e pode receber o mesmo câmbio automático CVT usado pela gama City no Brasil.

Continua após a publicidade
O interior usa uma tela flutuante similar à usada nos novos modelos da marca Divulgação/Honda

Apesar do registro no país, as chances do Crider chegar por aqui são remotas. O modelo foi desenvolvido pela GAC-Honda especificamente para o mercado chinês, que tem uma altíssima demanda por sedãs alongados.

O espaço interno para o banco traseiro é o maior destaque do Crider Divulgação/Honda

Além disso, suas medidas e pacote de equipamentos conflitariam com o City e mesmo com as versões iniciais do Civic.

O motor 1.0 turbo chega a 122 cv de potência Divulgação/Honda

Questionada, a marca informou à QUATRO RODAS que “esse registro não indica intenção de produção, ou comercialização local do produto em questão”.

Uma extensão no apoio de braço central cria uma divisão entre os ocupantes do banco traseiro Divulgação/Honda

Por enquanto o único lançamento da Honda confirmado para o Brasil é o HR-V reestilizado, que deve estrear no Salão do Automóvel de São Paulo.

Alguns meses depois virá a reestilização do Civic, que deve acompanhar a atualização feita no sedã nos Estados Unidos.

Continua após a publicidade
Publicidade