Clique e assine por apenas 6,90/mês

Honda registra sedã maior que o Civic no Brasil

Novo Crider usa plataforma do City, tem mais de 4,75 m de comprimento e usa motor turbo

Por Rodrigo Ribeiro - 25 set 2018, 12h57
O Crider tem visual inspirado no novo Accord INPI/Internet

Um Honda misterioso surgiu no último documento público do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) nesta semana. Apesar das linhas similares à do Accord, o novo Crider tem origem bem mais simples: sua plataforma é uma versão alongada da usada no City.

Mesmo assim, o sedã desenvolvido para o mercado chinês tem medidas impressionantes. São 4,756 m de comprimento, 1,804 m de largura e 2,73 m de entre-eixos. Como referência, o Civic tem 4,64 m, 1,799 m e 2,70 m, respectivamente.

Boa parte do alongamento da plataforma ocorreu entre o eixo traseiro e coluna B INPI/Internet

O Crider é tão grande que uma extensão do apoio de braço central do banco traseiro cria uma divisão similar à de modelos de luxo de quatro lugares, como o Mercedes-Benz S 560 L.

As versões mais caras podem receber faróis em leds Divulgação/Honda

Alguns de seus equipamentos foram herdados do Civic, como os faróis totalmente em LEDs (opcionais), sistema de monitoramento de ponto cego do lado direito e painel parcialmente digital.

Continua após a publicidade
A traseira tem lanternas bipartidas, como no Civic Divulgação/Honda

A segunda geração do Crider também adota motor turbo, mas com cilindrada menor. O sedã adota um 1.0 sobrealimentado de 122 cv e 17,6 mkgf, e pode receber o mesmo câmbio automático CVT usado pela gama City no Brasil.

O interior usa uma tela flutuante similar à usada nos novos modelos da marca Divulgação/Honda

Apesar do registro no país, as chances do Crider chegar por aqui são remotas. O modelo foi desenvolvido pela GAC-Honda especificamente para o mercado chinês, que tem uma altíssima demanda por sedãs alongados.

O espaço interno para o banco traseiro é o maior destaque do Crider Divulgação/Honda

Além disso, suas medidas e pacote de equipamentos conflitariam com o City e mesmo com as versões iniciais do Civic.

O motor 1.0 turbo chega a 122 cv de potência Divulgação/Honda

Questionada, a marca informou à QUATRO RODAS que “esse registro não indica intenção de produção, ou comercialização local do produto em questão”.

Continua após a publicidade
Uma extensão no apoio de braço central cria uma divisão entre os ocupantes do banco traseiro Divulgação/Honda

Por enquanto o único lançamento da Honda confirmado para o Brasil é o HR-V reestilizado, que deve estrear no Salão do Automóvel de São Paulo.

Alguns meses depois virá a reestilização do Civic, que deve acompanhar a atualização feita no sedã nos Estados Unidos.

Publicidade