Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Hilux, S10, Ranger e cia: qual picape média perde menos valor na revenda?

Líder de vendas, picape da Toyota mostra que também é forte quando se fala em desvalorização. Veja como ela se sai frente às suas principais rivais

Por Renan Bandeira
Atualizado em 5 dez 2019, 08h00 - Publicado em 5 dez 2019, 07h00
Mais vendida entre as picapes também é a que menos desvaloriza no segmento (Christian Castanho/Quatro Rodas)

As picapes médias estão cada vez mais próximas de se tornarem um carro de passeio. No momento da compra, a disputa é acirrada entre os principais modelos que figuram no mercado.

Coisas como: tamanho da caçamba, se ela é aberta ou fechada, motor flex ou diesel, picape usada ou zero-quilômetro, valor do seguro e itens de série são sempre lembrados na hora de comparar, mas e a desvalorização?

Seguindo uma pesquisa exclusiva da KBB Brasil, QUATRO RODAS separou dados de seis veículos (ano/modelo 2019 ou 2020) da categoria para saber qual perde mais (ou menos) valor na hora da revenda.

Continua após a publicidade
L200 foi a segunda que menos desvalorizou (Divulgação/Mitsubishi)

As picapes envolvidas no levantamento foram: Nissan Frontier, Volkswagen Amarok, Mitsubishi L200, Ford Ranger, Toyota Hilux e Chevrolet S10.

Para obter o resultado, foi colocado como base o preço atual do veículo comparando com o valor da mesma versão fabricada em anos anteriores.

Continua após a publicidade
Grade, faróis e recortes das janelas são fiéis à geração anterior da Frontier
Picape teve maior desvalorização média e também individual entre picapes (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A Nissan Frontier foi a picape que registrou a maior desvalorização média entre todas as concorrentes: -11,01%.

Na outra ponta da tabela, quem se deu melhor (como já se poderia esperar) foi a Toyota Hilux, que na média entre todos seus acabamentos teve uma queda de -3,49%.

Continua após a publicidade

Em seguida aparecem Mitsubishi L200 (-4,13%) e Ford Ranger (-7,19%), completando o virtual pódio desta disputa. A vice-líder S10 ocupa uma discreta quarta posição, à frente apenas de Amarok e da já mencionada Frontier.

Posição Marca/modelo Desvalorização média (com todas as versões de cada veículo)
Toyota Hilux -3,49%
Mitsubishi L200 -4,13%
Ford Ranger -7,19%
Chevrolet S10 -7,58%
Volkswagen Amarok -8,39%
Nissan Frontier -11,01%

Ranger aparece em terceiro lugar e completa pódio de quem menos desvalorizaAnalisando cada versão individualmente, o resultado não mudou.

Continua após a publicidade

A picape da Toyota manteve a soberania e sua versão STD 4×4 2.8 manual cabine dupla teve a menor desvalorização entre todas, com mero 1,94% de perda média. Já a sua versão que mais desvaloriza é a SRV Flex automática (-5,03%), também cabine dupla.

A última posição entre todas as versões analisadas também pertence à Frontier. Trata-se da XE automática, com percentual de 11,43%. Seu melhor percentual, -10,59%, registrado pelo acabamento SE automática, também não é dos mais animadores.

Amarok ficou com a segunda pior marca entre as camionetes (Divulgação/Volkswagen)

A melhor marca da L200 Triton Sport foi com a versão GLX manual, que apresenta recuo médio de -2,53%. A maior marca da picape foi com a GL manual (-7,27%).

No caso da Ranger, o melhor desempenho foi da versão XLS 2.2 automática, com baixa de 3,09%, enquanto a Limited 3.2  automática foi a pior: -9,26%.

S10 tem capacidade de carga de 816 kg
Melhor marca do modelo foi uma desvalorização de 5,22% (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A Chevrolet S10 LT flex automática teve a menor desvalorização de toda a gama do modelo, -5,22%. Já o pior desempenho foi da LT 2.8 TDI manual (-9,10%).

A Volkswagen Amarok fecha o comparativo. Sua versão SE 2.0 manual é aquela que apresenta a menor desvalorização (-7,51%), enquanto a Highline perde 9,73% de valor na revenda, em média.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.