Guia de Usados: VW Saveiro, a única picapinha a ter deixado os anos 90

Vice-líder de um segmento esquecido, picapinha agrada pelo projeto menos defasado do que o das rivais, que garante conforto e estabilidade

Dependendo da versão, a capacidade de carga da Saveiro chega a 715 kg

Dependendo da versão, a capacidade de carga da Saveiro chega a 715 kg (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Parece que foi ontem, mas já se passaram dez anos desde que a quinta geração da Saveiro estreou.

O modelo 2010 representou a maior evolução nos 37 anos da picape, marcada pela adoção do motor transversal, da cabine estendida e da dirigibilidade similar à de carro de passeio.

Responsável por 25% da produção, a aventureira Cross tem a maior aceitação em função do bom nível de equipamentos: traz sempre cabine estendida, para-choque dianteiro exclusivo, faixas laterais, acabamento interno mais sofisticado, ar-condicionado e rodas de liga aro 15 com pneus de uso misto 205/60.

Prefira sempre o modelo 2013 em diante, que já traz freios ABS e airbags dianteiros.

A cabine simples fez muito sucesso na versão básica, ainda mais quando tem o pacote Trend: calotas integrais nas rodas de aço aro 14, para-choques na cor da carroceria, faróis de refletor duplo, chave canivete e painel com conta-giros e detalhes cromados.

 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Chamativa, a intermediária Trooper traz rodas de aço aro 15 com pneus 205/60, faróis com máscara negra e direção hidráulica. O motor é sempre o confiável EA111, um 1.6 8V de 101/104 cv acoplado ao bom câmbio manual de cinco marchas.

Apesar de atraentes, os pneus de uso misto da Cross resultam em consumo maior e piora nas acelerações e retomadas.

A sexta geração veio no modelo 2014, que adotou o padrão global VW com faróis, grade e para-choque novos. Recebeu interior com parte central do painel e difusores de ar redesenhados.

A versão Trooper incorporou os airbags dianteiros como item de série e perdeu a cabine simples.

A linha 2015 trouxe freios a disco nas quatro rodas em todas as versões, que passaram a ser Startline (cabine simples), Trendline (simples ou estendida) e Cross (estendida), esta com ABS com função off-road, ESP, sistema de assistência à frenagem, bloqueio eletrônico de diferencial, partida em rampa e o novo motor EA211, um 1.6 16V de 110/120 cv.

Logo depois veio a cabine dupla, a única para cinco ocupantes: a versão Highline agregou ar-condicionado, faróis de neblina e frisos laterais cromados.

Para se diferenciar de Gol/Voyage, faróis e grade ficaram mais altos na linha 2017  e o para-choque dianteiro tornou-se exclusivo da picape.

As lanternas lembram as da Amarok, a tampa  passou a ser aberta pelo logotipo da VW e a versão básica passou a ser a Robust.

Em qualquer versão, a Saveiro é uma picape mais civilizada que a Strada, pelo projeto mais recente ou pelo comportamento dinâmico. Mesmo não sendo tão popular quanto a da Fiat, tem seus méritos: é fácil de comprar, de manter e de revender.

Onde o bicho pega

 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Câmbio: Trepidações são causadas, em geral, pelo fim da vida útil da embreagem, mas comece verificando se os coxins do câmbio não estão rompidos. Os dois reparos são simples, rápidos e de baixo custo.

Consumo de óleo: Algumas unidades do motor EA211 (1.6 16V MSI) apresentaram consumo excessivo de óleo lubrificante, o que levou a VW a substituir diversos componentes ou o motor inteiro nos casos mais graves. Verifique o histórico de manutenção e se o veículo ainda se encontra dentro do período de garantia.

Cabeçote: No motor EA111 (1.6 8V), o problema está na queda de pressão de óleo, evidenciada pelo forte ruído nos tuchos hidráulicos. A causa pode ser uma das duas válvulas do circuito (na bomba de óleo ou no cabeçote) ou folga excessiva nas bronzinas de biela, nas bronzinas de mancal e no comando de válvulas.

Ignição: A fonte mais comum de falhas no motor EA111 é a bobina de ignição, que pode apresentar trincas, oxidação ou problemas em seus conectores. Verifique a resistência e o sinal da bobina antes de trocar velas e cabos de vela.

Recalls: Foram quatro: airbag do passageiro (2017), alternador (2016 a 2017), pinças dos freios traseiros (2014 a 2018) e uma inusitada falta do registro de liberação (2009, 2015, 2017 e 2018).

A voz do dono

Nome: Felipe Timm Raffi
Idade: 27 anos
Profissão: produtor rural
Cidade: Pelotas (RS)

O que eu adoro

“O que mais agrada é o estilo, o mais bonito e atual entre as rivais. E o conforto de rodagem e o comportamento dinâmico merecem destaque, pois nem parece um utilitário. Está resistindo bem ao uso diário no trabalho.”

O que eu odeio

“O rendimento do motor EA111 poderia ser melhor: falta potência e o consumo é alto, em especial na estrada. O acabamento continua sendo o maior problema dos VW: plásticos duros e muitos ruídos internos.”

Preço médio dos usados

Modelo 2013 2014 2015 2016 2017 2018
CS Trendline 1.6 6V 35.128  39.115 42.674 42.674
CE Trooper 1.6 8V

33.719

36.532
CE Cross 1.6 8V

37.228 

43.126
CE Cross 1.6 16V 49.653  57.862 60.815 64.445
CD Trendline 1.6 8V 42.671  47.682 51.264 55.730
CD Highline 1.6 8V 49.037  55.489 57.902 63.508
CD Cross 1.6 16V 54.027 60.289 64.811 68.041
  • Valores em reais calculados pela KBB Brasil para compra pelo particular

Preço das peças

Peças Original Paralelo
Para-choque dianteiro R$ 1.550       R$ 800
Farol (cada lado) R$ 430        R$ 290
Pastilhas de freio (jogo dianteiro) R$ 150         R$ 80
Disco de freio (par) R$ 320          R$ 100
Amortecedores (o jogo) R$ 1.290          R$ 934

Nós dissemos

 (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Abril de 2016  “A carroceria renovada combina com o interior repaginado do Gol, marcado pelos traços horizontais e melhor acabamento. (…) Traz recursos de segurança inexistentes na Strada, como auxiliar de partida em rampa e ABS com função off-road (que permite um leve travamento das rodas para acumular terra e facilitar a frenagem).”

Pense também em uma…

 (Acervo/Quatro Rodas)

Fiat Strada:  foi a primeira a ter três opções de cabine. As mais simples, com o motor Fire 1.4 EVO (85/88 cv), são mais indicadas para frotistas e uso profissional. A maior novidade do modelo 2011 foi o motor E.torQ 1.8 16V (130/132 cv). Robusta e fácil de manter, a Strada é unanimidade entre donos, mecânicos e lojistas, mas é inferior em estabilidade.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s