Guia de Usados: Honda HR-V, o seminovo com preço de carro zero

Um dos modelos mais equilibrados entre os SUVs compactos também é campeão de aceitação e valorização de revenda entre os usados

Os 2,61 m de entre-eixos fazem do HR-V um dos SUVs mais espaçosos da sua categoria

Os 2,61 m de entre-eixos fazem do HR-V um dos SUVs mais espaçosos da sua categoria (Arquivo/Quatro Rodas)

É fácil entender o domínio que o HR-V exerceu no segmento desde sua estreia, em março de 2015. A liderança da categoria foi resultado não só do prestígio da Honda mas também por virtudes como espaço interno, rendimento e confiabilidade.

O motor 1.8 flex do irmão Civic gera 140/139 cv e impulsiona bem seus 1.270 kg, quase sempre acoplado a um câmbio CVT (nas versões EXL e Touring há borboletas no volante para trocas entre sete marchas predefinidas).

Em nossos testes, fez 10,4 km/l na cidade e 13,1 km/l na estrada.

A suspensão mostra o acerto firme dos Honda e garante ótima estabilidade, resultando em dirigibilidade e conforto próximos aos do Civic. Freios a disco nas quatro rodas e controle de estabilidade contribuem para seu belíssimo comportamento dinâmico.

Ele é o mais familiar dos SUVs compactos: tem a cabine mais larga entre os rivais e seus 2,61 metros de entre-eixos oferecem ótimo espaço traseiro. O acabamento interno traz peças bem encaixadas e materiais agradáveis à visão e ao tato.

A versatilidade é garantida pelo sistema de bancos modulares similar ao do Fit e o generoso porta-malas, de 437 litros, só perde para o do Renault Duster.

A versão mais popular é a intermediária, EX, com rodas de liga, faróis de neblina, piscas nos retrovisores, rack no teto, câmera de ré, som com tela LCD de 5 polegadas e volante multifuncional com controle de áudio, piloto automático e revestimento que imita couro.

Com tanque de 51 litros, leva vantagem sobre os 41 litros do Nissan Kicks

Com tanque de 51 litros, leva vantagem sobre os 41 litros do Nissan Kicks (Arquivo/Quatro Rodas)

Depois vem a EXL, que inclui bancos de couro, airbags laterais, ar digital, maçanetas externas cromadas e central com tela touch de 7 polegadas e espelhamento de celular.

Os espelhos ganham rebatimento automático e a câmera de ré exibe guias para auxiliar nas manobras.

Despojada, a versão LX traz Isofix, freio de estacionamento elétrico com retenção para aclives, direção elétrica e coluna regulável em altura e distância e trio elétrico. É a única com opção do raro câmbio manual de seis marchas, que quase ninguém quer.

Para resistir à concorrência, a linha 2017 trouxe a configuração Touring, com faróis e lanternas de led, sensor de ré, retrovisor fotocrômico e airbags de cortina.

As outras versões também melhoraram: a EXL recebeu sensor de faróis e a EX, ar digital e CVT com borboletas e sete marchas predefinidas.

Na nossa frota de Longa Duração, o HR-V foi aprovado com louvor após 60.000 km. Os raros problemas foram todos sanados pela rede autorizada, notória pela qualidade do pós-venda: boa parte dos HR-V usados ainda está na garantia de três anos.

A manutenção por oficinas independentes também é feita sem mistério.

Onde o bicho pega

O HR-V foi aprovado no teste de Longa Duração da QUATRO RODAS

O HR-V foi aprovado no teste de Longa Duração da QUATRO RODAS (Arquivo/Quatro Rodas)

Suspensão dianteira:  Vários ruídos podem surgir em condições específicas de rodagem, que constumam ser sanados com um simples reaperto dos componentes. As peças de desgaste mais acentuado são buchas das bandejas, mancais da barra estabilizadora e bieletas. Aproveite para verificar o estado dos amortecedores.

Pneus: O desgaste nos componentes da suspensão dianteira pode causar problemas de alinhamento e desgaste irregular dos pneus. Tenha em mente que um pneu 215/55R17 de primeira linha custa em torno de R$ 500.

Câmbio CVT: Veja se o fluido da transmissão foi trocado: a Honda recomenda sua substituição a cada 40.000 km ou 24 meses, o que ocorrer primeiro. Se houver partículas metálicas no fluido velho, troque também o filtro interno para evitar entupimentos no sistema.

Cabeçote: Como em todo Honda, as válvulas devem ter folga verificada a cada 40.000 km, sob pena de comprometer consumo e desempenho. Folgas incorretas também deixam o motor mais barulhento.

Recalls: Houve apenas duas convocações: uma envolve os cubos das rodas traseiras (unidades produzidas em 2015) e outra para as pinças de freio traseiras (produzidos entre 2015 e 2017). Consulte o site da Honda para mais informações.

Preço médio dos usados

Modelo 2016 2017 2018 2019
LX 1.8 Manual R$ 61.919 R$ 67.980 R$ 74.818 R$
LX 1.8 CVT R$ 69.941 R$ 72.110 R$ 80.020 R$ 87.075
EX 1.8 CVT R$ 75.487 R$ 78.079 R$ 85.986 R$ 93.2985
EXL 1.8 CVT R$ 79.198 R$ 84.835 R$ 91.847 R$ 104.160

* Tabela KBB Brasil – os valores calculados pela KBB Brasil são para a compra pelo particular e em reais.

Preço das peças

Peças Original Paralelo
Para-choque dianteiro R$ 857 R$ 720
Farol (par dianteiro) R$ 1.166 R$ 550
Disco de freio (par dianteiro) R$ 925 R$ 280
Amortecedores (os quatro) R$ 1.916 R$ 1.300
Pastilhas de freio (par dianteiro) R$ 406 R$ 180
Embreagem (kit complet-o) R$ 2.127 R$ 1.200

A voz do dono

  • Nome: Maria Cecília Krahenbuhl
  • Idade: 53 anos
  • profissão: Arquiteta
  • Cidade: Rio de Janeiro (RJ)

O que eu adoro: “Apesar da posição elevada, não é um trambolho na cidade, pois é muito prático e fácil de estacionar. O desempenho agrada e é favorecido por um bom conjunto de suspensão e freios. E gasta pouco pelo que anda.”

O que eu odeio: “O conforto é sacrificado em pisos irregulares: sacoleja muito fora do asfalto. A rotação do motor oscila demais com o piloto automático. Pelo seu preço, deveria
trazer partida por botão e banco do motorista elétrico.”

Nós dissemos

Edição de maio de 2015

Edição de maio de 2015 (Arquivo/Quatro Rodas)

“A principal virtude do HR-V é conseguir transitar entre os dois mundos, on e off-road, com equilíbrio. Ele não é tão robusto quanto o Renegade nem tão dócil quanto o 2008. O HR-V é confortável e ao mesmo tempo esportivo. (…) A modularidade dos bancos, que podem ser rebatidos e dobrados, é um recurso exclusivo.”

Pense também em um…

Creta pode ser alternativa na busca por um SUV usado

Creta pode ser alternativa na busca por um SUV usado (Arquivo/Quatro Rodas)

Hyundai Creta: Com o mesmo porte do HR-V, ele oferece dois motores: 1.6 16V (130/123 cv) e 2.0 16V (166/156 cv), com duplo comando variável de válvulas para admissão e escape. O câmbio automático de seis marchas tem bom escalonamento e atende bem quem não aprecia o CVT da Honda. Outra vantagem é a garantia de cinco anos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s