Clique e assine por apenas 5,90/mês

Grupo VW investirá R$ 1,2 bi para fabricar A3 e Golf no PR

Planta de São José dos Pinhais produzirá modelos

Por Vitor Matsubara - Atualizado em 9 nov 2016, 12h43 - Publicado em 17 set 2013, 14h11
fabricantes

A partir desta terça-feira, 17 de setembro, até a próxima semana, o Grupo Volkswagen anunciará investimentos de 1,2 bilhão de reais em sua fábrica de São José dos Pinhais (PR) para produzir os novos Audi A3 e VW Golf no país. As informações são da agência Reuters.

A primeira empresa a se pronunciar deve ser a Audi. A marca agendou para esta terça-feira um anúncio sobre seus planos para o Brasil e América Latina. Antes disso, segundo o governo do Paraná, o CEO da Audi, Rupert Stadler, se encontrará com a presidente da República, Dilma Rousseff, possivelmente para oficialização do acordo.

A Reuters afirma que a Audi produzirá em Pinhais os modelos A3 e Q3, embora boatos apontem o A3 Sedan com boas chances de adquirir cidadania brasileira. Na semana que vem, de acordo com a agência de notícias, será a vez de a Volkswagen confirmar a produção local do novo Golf, que antes de virar nacional será importado da Alemanha a partir do fim deste mês. Serão investidos 700 milhões de reais para a fabricação do Golf.

O grupo alemão teria batido o martelo para a produção destes modelos após as conterrâneas BMW e Mercedes-Benz definirem que também fabricarão carros no Brasil. Enquanto a BMW já prepara a construção de sua primeira fábrica em Araquari (SC), a Daimler, proprietária da marca Mercedes-Benz, já estuda onde erguerá sua nova planta de automóveis de passeio. Os estados de São Paulo e Santa Catarina estariam no páreo.

Com a fabricação de automóveis por aqui, a Audi se livrará do “super IPI” estipulado pelo novo regime automotivo brasileiro, conhecido como Inovar-Auto. Lançado no início deste ano, ele impõe um Imposto sobre Produtos Industrializados de 30 pontos percentuais extras para todos os veículos importados. Caso as montadoras se comprometam a produzirem automóveis no país, elas estarão isentas do aumento da carga tributária.

Continua após a publicidade
Publicidade