Governo impõe nova multa à Volkswagen por fraude com a Amarok

Órgão da Senacon impõe cobrança por conta na alteração no software da injeção eletrônica da picape

Amarok é o único veículo envolvido no dieselgate vendido no Brasil

Amarok é o único veículo envolvido no dieselgate vendido no Brasil (Divulgação/Volkswagen)

A Volkswagen do Brasil sofreu uma nova multa por conta do dieselgate no país. A cobrança agora é da Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça e Segurança Pública), que exige o pagamento de R$ 7,2 milhões da montadora alemã.

Segundo o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, órgão da Secretaria, o consumidor não tinha como saber sobre a alteração nos motores da Amarok, o que configura violação da boa-fé que a empresa deve ter nas relações de consumo.

Em 2016 o Ibama já havia multado a VW em R$ 50 milhões por conta da adulteração nos testes de emissões em 17.057 unidades da Amarok comercializadas no Brasil.

Sede da Volkswagen em Wolfsburg (Alemanha)

Sede da Volkswagen em Wolfsburg (Alemanha) (Divulgação/Volkswagen)

As picapes receberam a mesma programação de outros 11 milhões de veículos a diesel vendidos pelo Grupo Volkswagen no mundo inteiro.

A modificação eletrônica permitia aos carros detectarem quando eles estavam em processo de análise de emissões de poluentes.

Quando isso ocorria, a injeção alterava diferentes parâmetros para o motor poluir menos. Como as mudanças aumentavam o consumo, o carro voltava para a configuração padrão (e irregular) assim que o veículo saísse da área de testes.

Essa estratégia global foi descoberta há seis anos e gerou o escândalo chamado de Dieselgate. A crise derrubou o então CEO do grupo, Martin Winterkorn, levou o presidente da Audi para a prisão e gerou bilhões de dólares em multas e contrapartidas.

Procurada, a Volkswagen enviou à QUATRO RODAS o seguinte posicionamento:

“No Brasil, o tema Diesel difere de outros mercados, uma vez que o software não otimiza os níveis de emissões de NOx das picapes Amarok comercializadas no mercado brasileiro com o objetivo de atender os limites legais. Portanto, o os carros envolvidos atendem a legislação brasileira mesmo antes dos softwares serem removidos destes carros.

· Em 2017, a Volkswagen convocou os modelos Amarok para substituir o software da unidade de comando eletrônico do motor visando retomar a confiança dos consumidores. O recall foi iniciado em 3 de maio de 2017 e envolve um total de 17.057 veículos.

· Com relação à sansão divulgada nessa segunda-feira (4 de fevereiro), a Volkswagen tomou conhecimento pelo Diário Oficial da União e entrará em contato com o DPDC para entendimento das razões da decisão.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s