Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Ford aposta em controle de qualidade para fazer a Ranger passar a Hilux

Com vendas em alta, Ford Ranger está prestes a ser vice-líder no segmento. Para vencer a Hilux, porém, o preço a se pagar é alto e a Ford topou tentar

Por Eduardo Passos
15 jun 2024, 10h00

O timing para anunciar o fechamento de fábricas no Brasil foi cruel com a Ford, mas a maré se inverteu. Enquanto os baianos de Camaçari vão aprendendo mandarim com a BYD, a montadora norte-americana vive, com a Ranger, seu maior êxito na fase de importadora.

A picape média foi quem estreou a nova geração do segmento, sem abrir mão de preços atraentes. Em um ano, roubou vendas de todas as concorrentes e está prestes a ultrapassar a Chevrolet S10, assumindo a vice-liderança. Mas parece pouco frente à ambição de superar a Toyota Hilux.

Nova Ford Ranger Limited testada por QUATRO RODAS
Nova Ford Ranger Limited começou se dando bem nas versões mais caras (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O maior deles, agora, é a regionalização dos motores das diferentes versões da Ranger. Tanto o Lion — V6 3.0 turbodiesel de 250 cv/61,2 kgfm — quanto o Panther — 2.0 turbodiesel de 170 cv/41,3 kgfm — serão produzidos na fábrica de General Pacheco, nas vizinhanças de Buenos Aires, de onde também sai a caminhonete.

É uma medida útil para a diminuição dos custos, dado que são as versões mais baratas da Ford Ranger que têm, na visão de executivos, maior espaço a conquistar. Mas já que a fábrica passaria por reformas inevitáveis, esse tempo ocioso foi aproveitado para a melhoria de qualidade. Palavra importante na guerra contra a Toyota.

Continua após a publicidade
Ford Ranger XLS 2.0 4X4 2024
Agora busca-se repetir sucesso em Ranger mais baratas, como a XLS (R$ 234.990) (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Questão de reputação

Mesmo vice no ranking de vendas, a Ranger terá que crescer quase 50% para alcançar a Hilux. Prevê-se uma guerra longa, de atrito, que se justifica na fidelidade: é difícil um dono de picape mudar de marca. Quando muda, porém, também é com a intenção de ficar.

A nova Ranger sendo indiscutivelmente mais tecnológica que a rival, já facilita. Isso não só em telas ou automação veicular, mas na construção do chassis e detalhes ergonômicos que constatamos nos seus diferentes testes. Em seguida, é hora de consolidar o esforço de cada cliente ‘convertido’.

Métodos tecnológicos também servem para redução no número de falhas (que, caso ocorram lá na frente, podem gerar má fama e um cliente a menos para sempre)
Métodos tecnológicos também servem para redução no número de falhas (que, caso ocorram lá na frente, podem gerar má fama e um cliente a menos para sempre) (Divulgação/Ford)

Os mais de R$ 3 bi gastos no preparo da fábrica incluíram métodos avançados de treinamento, que resultaram numa média de falhas bem menor do que a média global. A planta também estreia novos equipamentos de inspeção microscópica, pressurização de galpões inteiros para evitar entrada de poeiras e grãozinhos, por exemplo, e controle via realidade virtual/aumentada.

Continua após a publicidade
Hilux SRX PLUS
Toyota Hilux tem robustez que gera clientes fiéis; mas até que ponto? (Fernando Pires/Quatro Rodas)

No pós-venda, a coisa é mais difícil, já que a Toyota mantém fábricas no Brasil e tem maior número de concessionárias. Nesse caso, a saída é a tecnologia, com atendentes que, remota e automaticamente, podem constatar defeitos ocultos na Ranger e ligar para os donos.

Nova Ford Ranger testada por QUATRO RODAS
Telas da Ranger são mais do que entretenimento: elas são cruciais para que o pós-vendas da Ford consiga entregar o que se espera (Fernando Pires/Quatro Rodas)

O serviço FordPass Connect é tratado com elevada prioridade, já que a comunicação via internet tem potencial de transpor barreiras geográficas e ainda agregar esse valor ‘hi-tech’ ao produto. Mas estamos falando de usuários mais velhos, que usarão o serviço aos poucos e, principalmente, caso seja notavelmente melhor e necessário frente à alternativa tradicional.

Nova Ford Ranger testada por QUATRO RODAS
Ford sabe que superar a Toyota nas picapes médias é uma maratona, mas acredita no seu ‘pace’ para chegar lá (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Matematicamente, cada convertido vale por dois também por roubar um dono do Toyota. A teoria ainda mostra que uma satisfação acima da média pode gerar o estimado “efeito de rede”, que é a poder de persuasão que um usuário de produto pode ter na sua adesão por outros. Um nome mais refinado para o famosa boca a boca: de pouco em pouco, quem tem uma nova Ranger testemunhará sua satisfação. Ao menos é isso que a Ford busca.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.