Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Fora da Europa em 2015, GM mantém patrocínio a Manchester United

Empresa diz que acordo mira países emergentes em vez dos europeus

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 13h01 - Publicado em 24 jan 2014, 13h16
mercado

A decisão da General Motors de encerrar as atividades da marca Chevrolet na Europa em 2015 criou uma dúvida entre os especialistas em marketing esportivo. Afinal, a empresa havia assinado em 2012 o maior contrato de patrocínio com o Manchester United Football Club, um dos maiores e mais tradicionais times da Europa. Qual seria o sentido do clube britânico jogar com o logotipo de uma empresa inexistente em todo o continente?

A GM garante que o acordo entra em vigor a partir de 2014/15. As cláusulas do contrato preveem que ele será o maior do gênero na Europa, com o clube inglês ganhando quase 90 milhões de reais por ano pelas próximas sete temporadas. Diante das cifras astronômicas, vários especialistas em patrocínio esportivo questionam se a empresa não teria errado ao inflacionar os valores, já sabendo que a Chevrolet deixaria a Europa em breve.

“Não classificaria o acordo como um mau negócio, mas se pudéssemos voltar no tempo, principalmente sabendo que a Chevrolet não terá investimentos em marketing no futuro, você fecharia o acordo por estes valores? A resposta é claramente não”, declarou Jim Andrews, vice-presidente sênior da IEG, uma empresa de publicidade e relações públicas especializada em acordos de patrocínio. As declarações foram reproduzidas pelo site Car Scoops.

Aparentemente alheia à polêmica, a GM não vê problema algum em estampar a gravatinha dourada da Chevrolet em um mercado onde ela não atuará mais. A empresa acredita que a popularidade do United pelo mundo, especialmente em mercados emergentes fundamentais para a Chevrolet (como a Ásia), compensará os valores pagos.

“Nós nunca fizemos isso (assinar o patrocínio) pensando na Europa. Só tomamos esta decisão porque o futebol é o esporte do mundo. Fizemos isso pensando nos mercados emergentes, especialmente China e Ásia”, assegurou Alan Batey, diretor global da GM América do Norte.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês