Fabricantes retomam a produção de clássicos novos em folha

Resgatando modelos que fizeram história, montadoras produzem e vendem carros antigos zero-quilômetro

Jaguar XKSS Jaguar XKSS

Jaguar XKSS  (/)

Quem sonha em desfrutar o prazer de possuir um carro clássico sabe que terá pela frente a árdua tarefa de encontrar um carro em boas condições ou, pior, dedicar-se ao longo trabalho de restauração. Mas algumas montadoras resolveram facilitar a vida desses colecionadores e passaram a oferecer um carro clássico zero-quilômetro.

A nova estratégia é fabricar e/ou restaurar carros que fizeram sucesso no passado e depois vendê-los a quem puder pagar. Em abril, a Land Rover anunciou que vai vender 25 unidades do clássico Série 1 (4×4 que deu origem ao Defender), lançado em 1948. Garimpadas e restauradas pela divisão Land Rover Classic, elas contarão com peças e características originais. O comprador poderá escolher desde o exemplar entre as 25 unidades até a pintura preferida, ao preço de 60.000 a 80.000 libras (R$ 312.000 a R$ 416.000).

Land Rover Série 1 front Land Rover Série 1

Land Rover Série 1  (/)

Outro clássico que logo sairá da linha de montagem é o Jaguar XKSS D-Type, de 1957. Ele terá nove unidades produzidas artesanalmente e vendidas, a partir de 2017, por 1 milhão de libras (R$ 5,2 milhões). O motivo é a recuperação de uma memória: naquele ano, um incêndio atingiu a fábrica de Browns Lane, na Inglaterra, e queimou nove dos 25 XKSS produzidos. Agora, 59 anos depois, chegou a hora de reaver os modelos. A fabricante reforça o fato de que os nove XKSS terão exatamente as mesmas especificações mecânicas e visuais das outras 16 unidades feitas em 1957.

Jaguar XKSS Das 25 unidades produzidas em 1957, nove foram perdidas em um incêndio

Das 25 unidades produzidas em 1957, nove foram perdidas em um incêndio  (/)

O XKSS foi uma espécie de versão de rua do lendário D-Type, um dos melhores e mais famosos carros de corrida de todos os tempos, com vitórias nas 24 h de Le Mans em 1955, 1956 e 1957. Pesando apenas 914 quilos, ele era equipado com o clássico motor XK6 de seis cilindros em linha, com mais de 240 cavalos, capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de cinco segundos.

Ford Mustang  - Dynacorn Carrocerias de Mustang feitas pela Dynacorn Bodies

Carrocerias de Mustang feitas pela Dynacorn Bodies  (/)

A Ford também tem seu “antigo novo”, só que para o mercado de reposição. Licenciada pela Ford, a empresa Dynacorn Bodies produz nos EUA carrocerias de Mustang 1965 a 1970. Ela também tem autorização da Chevrolet para fabricar a carroceria do Camaro 1967 a 1969, cupê ou conversível. Em 2003, a própria Ford, em homenagem aos 100 anos da marca, já havia fabricado seis unidades do Modelo T 1914 Touring, todas feitas artesanalmente por quatro engenheiros e vendidas a colecionadores. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Eu já pensei nisso como ideia de negócio, fabricar com autorização da Ford o Corcel, a Belina, a F-75/Rural e o Maverick.
    Sonhar não custa nada, haha!