Exclusivo: Polo GTS toma lugar do Golf GTI como o VW nacional mais rápido

Informações oficiais obtidas por QUATRO RODAS revelam os dados de desempenho do próximo esportivo brasileiro

Visual do GTS repete os traços do GTI europeu

Visual do GTS repete os traços do GTI europeu (Rodrigo Ribeiro/Quatro Rodas)

Aceleração até os 100 km/h em menos de 8,5 segundos, velocidade máxima acima dos 200 km/h. Esses são alguns números de desempenho do inédito Volkswagen Polo GTS apurados por QUATRO RODAS.

O hatch esportivo chega entre janeiro e fevereiro de 2020, com produção em São Bernardo do Campo (SP), para preencher o nicho de esportivos puro-sangue nacionais que ficou vazio com a saída de linha do Golf GTI.

Maior diferença do Virtus está no spoiler traseiro

Maior diferença do Virtus está no spoiler traseiro (Rodrigo Ribeiro/Divulgação)

Ao contrário do irmão maior, o Polo (e também o Virtus) GTS não serão o ápice de desempenho dentro da gama — este é o papel do Polo GTI europeu, que não virá ao Brasil.

A dupla fabricada em São Bernardo do Campo (SP) usará o mesmo 1.4 turbo de 150 cv e 25,5 mkgf com câmbio automático por conversor de torque e seis marchas já usados por Jetta, T-Cross e Tiguan.

Apliques vermelhos e seletor de modo de condução são exclusivos do GTS

Apliques vermelhos e seletor de modo de condução são exclusivos do GTS (Rodrigo Ribeiro/Quatro Rodas)

Segundo dados oficiais da Volkswagen ainda não tornados públicos, mas obtidos em primeira mão por QUATRO RODAS, o Polo GTS acelera de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos, com velocidade máxima de 207 km/h.

Como referência, o antigo Golf 1.4, também conforme informações de fábrica, faz a mesma aceleração em 8,7 segundos e alcança até 203 km/h. Naturalmente isso se dá pelo peso do esportivo compacto, 1.213 kg, ligeiramente mais leve que os 1.238 kg do Golf.

Pimenta familiar

Motor EA211 1.4 já é usado no T-Cross, Jetta e Tiguan

Motor EA211 1.4 já é usado no T-Cross, Jetta e Tiguan (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

O Virtus GTS é ligeiramente mais lento na pista, de acordo com os números oficiais. O sedã chega aos 100 km/h em 8,7 segundos, mas a aerodinâmica superior típica dos sedãs resultou em uma maior velocidade máxima: 210 km/h.

O Jetta 250 TSI, que usa o mesmo motor, faz o 0-100 km/h em 8,9 segundos, mas consegue atingir a mesma máxima do Virtus. Aqui a diferença de peso é maior: 1.255 kg no GTS ante 1.331 kg do sedã mexicano.

Faróis são totalmente em leds

Faróis são totalmente em leds (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

O lançamento da versão esportiva do sedã do Polo foi uma batalha pessoal do designer José Carlos Pavone. Entusiasta dos esportivos da VW, ele foi responsável pela dupla GTS e pelo conceito Gol GT Concept, que acabou não sendo produzido.

“Defendemos a oferta da linha GTS também para o Virtus visando a atender clientes que possuem famílias maiores e não abrem mão de desempenho”, afirmou o brasileiro.

Lanternas agora também usam leds

Lanternas agora também usam leds (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Além do novo trem de força, a dupla conta com um interior exclusivo, com elementos vermelhos, peças em preto brilhante no retrovisor e spoiler traseiro, e faróis totalmente em leds do Polo GTI.

O hatch europeu também empresta as lanternas para o irmão nacional.

Já o Virtus manteve as lanternas das demais versões nacionais, pois não há um Virtus GTI (afinal, o sedã sequer é vendido na Europa) e o custo de desenvolver novas peças não justificaria o investimento.

Outra característica única da dupla é a saída dos nomes “Virtus” e “Polo” da tampa do porta-malas. Em seu lugar há apenas a sigla GTS, que ganhou exclusividade na peça “por ser um nome forte”, segundo Pavone.

Justamente por conta disso, foi necessário explicar aos executivos alemães a importância da sigla, ilustre desconhecida do lado europeu da Volkswagen.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Carlos Minkap

    Onde já se viu a VW descontinuar o Golf GTI para tentar colocar o Polo em seu lugar como esportivo, nunca será VW, o Polo jamais terá a pegada do Golf !!!!

  2. Janu Castelo .

    Ué? O Golf Só mudou o direcionamento, que agora passa a ser híbrido e a se chamar GTE, mas continua lá no site. O Polo GTS é um esportivo sim. Pode não ter a “pegada” do GOLF, mas o Golf não era para todos os bolsos, coisa que esse Polo GTS vai permitir para uma grande parcela das pessoas menos abastadas e fazer a alegria de muitos com um valor bem mais amigável. Lembre-se que os esportivos endeusados dos anos 90, Gol GTI/GTS perdem em TUDO para o Polo 200TSI.