Clique e assine por apenas 8,90/mês

Crise europeia afeta Salão de Paris, diz NYT

Evento deve focar em soluções racionais e deve ser ‘morno’ para os apaixonados por carro

Por Márcio Murta e Rodrigo Furlan - Atualizado em 9 nov 2016, 12h04 - Publicado em 24 set 2012, 18h27
mercado

A atual crise europeia dará uma nova cara ao Salão de Paris. É a principal conclusão do jornal americano The New York Times. Segundo a reportagem publicada nesta segunda-feira, 24, o evento europeu será repleto de automóveis focados em questões lógicas de transporte, com muito menos apresentações empolgadas e repletas de emoções.

A situação de tensão por que passam Opel, Peugeot e Fiat, que revelamos anteriormente, contribui e muito para isso. O texto também ressalta a falta de lançamentos “emocionais” de grande impacto, mencionando poucas exceções, como o novo Land Rover Range Rover, o Jaguar F-Type e o McLaren P1.

As novas tecnologiasa que figuram na lista de novidades também dão sua fatia de contribuição: carros elétricos e híbridos, motores cada vez mais preocupados com a economia de combustível e carrocerias mais leves serão destaque.

De modo geral, as estreias mais esperadas são de carros de cotidiano – reforçando o aspecto racional. São citados, além do Golf VII e do Toyota Auris, que recebem menção especial, os compactos Opel Adam, Mini Paceman, Hyundai i30 3p e Kia pro_cee’d, o crossover Chevrolet Trax e o aventureiro Panda 4 x 4.

Continua após a publicidade

Outro aspecto abordado pelo NYT é a presença de vários carros que utilizam plataformas já vistas em outros modelos, como acontece com a sétima geração do VW Golf – baseado na plataforma MQB, a qual compartilha com o Audi A3 Sportback, por exemplo. A medida utilizada pelas montadoras visa à redução dos custos de produção.

O texto original do NYT pode ser visto neste link.

Publicidade