Clássicos: Plymouth Barracuda, o carro que inspirou Camaro e Mustang

Ele inaugurou a categoria dos pony cars e evoluiu para transformar-se em um dos maiores e mais potentes muscles da indústria americana

As rodas Magnum 500 eram itens de série

As rodas Magnum 500 eram itens de série (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Poucos sabem, mas o Plymouth Barracuda foi o precursor dos pony cars, categoria hoje dominada pelo Ford Mustang e Chevrolet Camaro.

Baseado na plataforma A do Plymouth Valiant, o cupê desenhado por Irving Ritchie chegou às revendas em 1º de abril de 1964, caracterizado pela traseira em queda suave e pelo enorme vidro traseiro envolvente.

Cilindrada indicada na lateral: 440 polegadas cúbicas ou 7,2 litros

Cilindrada indicada na lateral: 440 polegadas cúbicas ou 7,2 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Oferecia espaço para cinco adultos e um banco traseiro rebatível, perfeito para carregar material esportivo ou de camping. Tinha três motores: 6-cilindros de 2,8 litros (102 cv), 6-cilindros de 3,7 litros (147 cv) e o V8 LA de 4,5 litros (180 cv).

A potência era enviada às rodas traseiras por um câmbio manual de três marchas, um automático de três ou um manual de quatro marchas com trambulador Hurst.

Notório pelo comportamento dinâmico, o Barracuda recebeu o motor Commando em 1965, um V8 LA de 4,5 litros recalibrado para 235 cv.

O câmbio TorqueFlite A-727 suporta o torque descomunal do motor V8 Chrysler RB

O câmbio TorqueFlite A-727 suporta o torque descomunal do motor V8 Chrysler RB (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Era a combinação perfeita para o pacote esportivo Formula S, com suspensão reforçada, rodas e pneus mais largos, caixa de direção com relação mais rápida, decoração externa diferenciada e um indispensável conta-giros.

O Barracuda virou um modelo independente do Valiant em 1965, logo após a Plymouth, divisão da Chrysler, perceber que o descolado Mustang vendia cinco vezes mais.

A estratégia da Ford foi copiada na segunda geração, em 1967, com três opções: cupê hardtop, conversível e fastback, este já sem o vidro traseiro envolvente.

Foi o primeiro Barracuda a invadir a categoria dos muscle cars (maiores no tamanho e no motor), adotando o V8 bloco grande de 6,3 litros e 280 cv, para tentar fazer frente ao Mustang (6,4 litros e 320 cv) e ao recém-lançado Camaro (6,5 litros e 325 cv).

Automóvel Barracuda 1970, da Plymouth.

Automóvel Barracuda 1970, da Plymouth. (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O pacote Formula S ganhou dois motores para 1968: Commando (5,6 litros e 275 cv) e Super Commando (6,3 litros e 300 cv).

Este era 10% menos potente que o Super Commando do Plymouth Satellite, pois o cofre do Barracuda não tinha espaço para coletores de escapamento de alta vazão.

O ápice foi o Barracuda B029 com seu motor Hemi de 7 litros e 425 cv. Montado pela Hurst Performance, trazia uma enorme entrada de ar no capô, vidros mais finos, carroceria com material sintético e menos itens para alívio de peso.

Não era homologado para as ruas, mas percorria um quarto de milha em cerca de 10 s, figurando entre a nata dos muscle cars. Tudo em vão: para cada Barracuda vendido, a Ford já emplacava 15 Mustang.

Painel e bancos revestidos de curvim

Painel e bancos revestidos de curvim (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A segunda geração se despediu em 1969 com a versão ‘Cuda, com o V8 Super Commando de 7,2 litros e 375 cv, o maior até então oferecido em um pony car.

Ia de 0 a 96 km/h em 5,6 s, mas sua dirigibilidade era ruim, pois ainda não havia espaço no cofre para a direção hidráulica e o servofreio.

Um raro esportivo sem conta-giros

Um raro esportivo sem conta-giros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O modelo das fotos é um ‘Cuda 1970, primeiro ano da terceira e última geração. A novidade era a plataforma E, com pouco espaço no interior e muito para os V8 de bloco grande.

O básico trazia o V8 de 6,3 litros (335 cv), mas havia o V8 de 5,6 (275 cv), o V8 de 7,2 com carburador de corpo quádruplo (375 cv) ou seis carburadores duplos (390 cv) e o lendário Hemi de 7 litros (425 cv).

Além do ‘Cuda, havia três versões: o requintado Gran Coupe, o Barracuda intermediário e o simplório Barracuda Coupe, sem vários equipamentos e com o 6-cilindros de 3,2 litros (125 cv).

As rodas Magnum 500 eram itens de série

As rodas Magnum 500 eram itens de série (Christian Castanho/Quatro Rodas)

No extremo oposto, estava o AAR’ Cuda, baseado no Barracuda de corrida pilotado por Dan Gurney.

Com quatro faróis, o Barracuda 1971 foi o último com opção conversível e os V8 de bloco grande.

Os faróis simples voltaram em 1972 e marcaram a última fase com lanternas circulares e queda na performance em função da taxa de compressão, reduzida pela proibição do chumbo tetraetila na gasolina.

A 3ª geração manteve a linha de cintura “garrafa de Coca-Cola”

A 3ª geração manteve a linha de cintura “garrafa de Coca-Cola” (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O último Barracuda deixou a fábrica de Hamtramck, Michigan, em 1o de abril de 1974, dez anos após o surgimento do primeiro pony car.

Ficha Técnica

Plymouth Barracuda 1970

  • Motor: V8 de 7,2 litros; 375 cv a 4.600 rpm; 66,4 mkgf a 3.200 rpm
  • Câmbio: automático de 3 marchas
  • Carroceria: cupê, 2 portas, 5 lugares
  • Dimensões: comprimento, 474 cm; largura, 190 cm; altura, 129 cm; entre-eixos, 274 cm;  peso, 1.612 kg
  • Desempenho: 0 a 96 km/h em 5,9 segundos; velocidade máxima de 200 km/h
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s