Clique e assine por apenas 8,90/mês

Chevrolet Monza ganha versão híbrida que seria perfeita no lugar do Cobalt

Modelo, que tem plataforma de Cruze e Equinox, recebeu conjunto híbrido leve de 48 V que promete médias de consumo acima de 22 km/l

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 11 Maio 2020, 17h27 - Publicado em 11 Maio 2020, 15h41
Monza ganhou opção de motorização híbrida parcial Divulgação/Chevrolet

O Chevrolet Monza seria o sucessor natural do nosso recém-aposentado (oficialmente) Cobalt. Mas enquanto não há planos de trazer o sedã vendido na China, por lá o modelo ganhou até versões com motorização híbrida parcial – ao estilo de Audi e Mercedes-Benz.

O conjunto eletrificado com sistema de 48 V estará disponível com duas opções a combustão: 1.0 turbo de 125 cv e 1.3 turbo de 163 cv. Só que, apesar de pertencerem à mesma família de três-cilindros de Onix, Onix Plus e Tracker, ambos têm recursos mais sofisticados.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Em relação aos conjuntos mecânicos oferecidos no Brasil, a principal diferença fica por conta da injeção direta de combustível, que melhora os números de desempenho. Além disso, para o mercado chinês, o câmbio automático convencional foi trocado por um CVT.

Continua após a publicidade
Reprodução/Internet

No caso das versões híbridas parciais, ainda há um pequeno motor elétrico, baterias e sistemas eletrônicos para gerenciamento. No Monza, isso significa economia de combustível, pois o conjunto adicional é responsável por aliviar o esforço do motor a combustão.

Divulgação/Chevrolet

De acordo com a Chevrolet, a configuração menos potente do sedã eletrificado tem médias de consumo de até 21,3 km/l – movido apenas a gasolina. No teste de pista da QUATRO RODAS, o novo Onix Plus na opção 1.0 turbo fez 12,8 km/l na cidade e 16,4 km/l na estrada.

Apesar do apetite contido em relação ao modelo nacional, o Monza é maior que o sedã feito em Gravataí (RS) e tem até plataforma diferente. Isso porque, enquanto o Onix Plus tem base GEM, o “primo” chinês é feito sobre uma variação da D2XX, de Cruze e Equinox.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de maio da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Fernando Pires/Quatro Rodas
Publicidade