Clique e assine por apenas 5,90/mês

Guia de Usados: Citroën DS3 é hatch premium com motor turbo e base do C3

Muito além do visual cativante, o hot hatch com motor turbo e câmbio manual pega qualquer gearhead pela diversão

Por Guilherme Fontana - Atualizado em 18 out 2020, 13h41 - Publicado em 19 out 2017, 15h53
Esportividade e (muito) estilo marcam a existência do DS3. Se você é um apaixonado por hot hatches, pense nele Marco de Bari/Quatro Rodas

Ficou a cargo do DS3, em 2012, inaugurar a linha DS no Brasil ─ até então uma submarca de luxo da Citroën. Apesar dos inúmeros componentes compartilhados com o C3 (no qual é baseado), o hot hatch tem sua própria identidade com soluções mecânicas e de estilo inexistentes no hatch de quatro portas.

Agora, com sua importação temporariamente interrompida, o modelo é encontrado apenas como uma (ótima) opção no mercado de usados.

Apesar das semelhanças, as diferenças do DS3 em relação ao C3 ficam muito mais evidentes. A começar pelas duas únicas portas ─ como manda a cartilha dos esportivos.

Na dianteira, grade e para-choque são exclusivos, além da fileira vertical de leds diurnos.

Citroën DS3
Traseira com lanternas em baixo relevo, volumes arredondados e dupla saída de escape é o diferencial do DS3 Marco de Bari/Quatro Rodas

Na traseira, as lanternas de formato quadrado podem ter iluminação com efeito 3D nos modelos a partir de 2015. Permanecem, porém, a tampa e o para-choque volumosos e arredondados, além da saída dupla de escape aparente.

É na lateral que o menor modelo da marca guarda o ponto alto de sua personalidade: uma espécie de barbatana de tubarão, ou uma asa de avião, que separa a porta da janela espia.

O teto pode ser de outra cor ou adesivado. As rodas têm sempre acabamento diamantado, 17 polegadas e podem ter o cubo central personalizado na cor do veículo.

Citroën DS3
O detalhe entre a porta e o vidro traseiro dão personalidade ao DS3. Há quem diga que se parece com a asa de um avião, há quem diga que remeta a uma barbatana de tubarão Marco de Bari/Quatro Rodas

O interior também reserva suas particularidades. A porção superior do painel tem acabamento em plástico liso com diversas opções de personalização, podendo ser brilhante, fosco, imitando fibra de carbono, repetindo a cor da carroceria, entre outros.

Também a partir de 2015, pode ter central multimídia nas versões mais caras. Já a parte inferior, onde estão os comandos do ar-condicionado, é a mesma de C3 e AirCross.

Citroën DS3
Interior é bonito, mas rádio dos primeiros modelos tem visual simples e os comandos do ar-condicionado são os mesmos do C3 Marco de Bari/Quatro Rodas

A lista de equipamentos também sempre foi um dos atrativos do DS3. Lançado em 2012 por R$ 79.900, vinha de série com ar-condicionado digital, retrovisores com ajustes e rebatimento elétricos, vidros elétricos, direção elétrica, controles de estabilidade e tração, airbags frontais, sistema de som com CD, USB e Bluetooth e computador de bordo.

Na reestilização de 2015, além da central multimídia, acrescentou-se os faróis full led e as lanternas 3D de série na versão mais cara.

ds3_5
Depois da restilização, modelo ganhou opção de central multimídia. Até os tapetes podiam ser personalizados Quatro Rodas/Quatro Rodas

Mais do que apenas estilo, o DS3 também veio ao mundo para entregar diversão ao seu motorista. Ele é equipado com o mesmo motor 1.6 turbo de injeção direta com 165 cv e 24,5 mkgf de diversos outros modelos do Grupo PSA (2008, 3008, C4 Lounge e C4 Picasso), porém combinado com um câmbio manual de seis marchas com relações longas, que permitem prazer e economia ao motorista.

Na pista de testes, o hot hatch registrou um 0 a 100 km/h em 7,6 s─ com belas médias de consumo de 11,4 km/l em ciclo urbano e 16,9 km/l em ciclo rodoviário.

Resumindo: o pequeno francês é alegria certa para quem quer um hatch esportivo, cheio de estilo, mas não precisa levar a família junto. Afinal, espaço não é o forte do DS3, com espaço reduzido nos bancos traseiros e um pequeno porta-malas de 280 litros.

Continua após a publicidade
ds3_6
Se motorista e passageiro têm bom espaço, quem vai atrás sofre: note a proximidade do banco traseiro na imagem. Revestimento de couro era opcional Quatro Rodas

O GRITO DA INDEPENDÊNCIA

Em 2014, com a apresentação do inédito DS 6, a DS deixou de ser apenas uma linha de luxo da Citroën para tornar-se uma marca independente no Grupo PSA, ao lado da própria Citroën e da Peugeot.

No Brasil, o movimento separatista começou com o DS3. Para isso, na traseira, ele abandonou o nome da Citroën estampado logo abaixo das letras DS estilizadas com um pequeno número 3.

A partir da linha 2015, a traseira do modelo tem o DS central e o nome do modelo no canto inferior direito da tampa do porta-malas.

DS 3

Modelo reestilizado tem faróis full led e novas rodas Quatro Rodas/Quatro Rodas

O nome do hatch reestilizado também é diferente daquele lançado em 2012 por aqui. No lugar de Citroën DS3, ele passa a se chamar DS 3, sem o Citroën e com o número 3 separado das letras, apontando que ele é o modelo 3 da marca DS.

Até então vendidos por aqui, DS 4 e DS 5 seguiram a mesma mudança. Por isso, se você for detalhista a este ponto, não estranhe se encontrar essas diferenças por aí.

DS 3

As lanternas do DS 3 têm iluminação com efeito tridimensional; na tampa traseira, o modelo independente abandona a inscrição da Citroën Quatro Rodas/Quatro Rodas

No início de 2017, o DS 3 saiu de linha no Brasil junto de toda a marca DS. Fontes internas da Citroën, ainda representante da marca por aqui, apontam que a importação foi interrompida por tempo indeterminado, mas que a DS não deixará o Brasil.

Outras fontes dizem que a marca passará por reestruturações no país, como a criação de uma rede própria de comercialização. Os DS já vendidos continuam sendo atendidos normalmente pela rede Citroën no Brasil.

A VOZ DO DONO

“Quando comprei o DS3 não imaginava que ele me proporcionaria tanta diversão. O motor turbo e o câmbio manual formam uma combinação excelente no desempenho e no consumo – na estrada, por exemplo, costumo usar apenas a quinta e a sexta marcha.

Mas a segunda marcha me irrita um pouco, ela parece cortar a aceleração até retomar o fôlego. Também não gosto do sistema de som original do modelo antigo, que não combina com o visual esportivo e moderno do DS.” – Michel Oliveira Bulgarelli, estudante, 26 anos, Vinhedo (SP)

Citroen DS 3

PREÇO MÉDIO DOS USADOS (FIPE – outubro/2017)

2012 2013 2014 2015 2016
Citroën DS3 R$ 43.581 R$ 47.854 R$ 58.067
DS 3 Sport Chic R$ 67.919 R$ 71.767

ONDE O BICHO PEGA

Suspensão – Como em todo bom esportivo, o conjunto de suspensão do DS3 pode te fazer sofrer alguns trancos no asfalto esburacado das ruas brasileiras. Se o conforto é prejudicado, porém, a esportividade só tem a ganhar.

Nível de óleo – São diversos os relatos de uma queda abrupta do nível de óleo do motor. Fique atento, isso pode causar sérios danos no conjunto.

Espaço – Este é um quesito muito particular, afinal, o DS3 não nasceu para atender famílias. Seus reduzidos espaços no banco traseiro e no porta-malas pode incomodar àqueles que gostam de exagerar na bagagem.

Camaro x DS3 x Punto x Jetta x Impreza
Bem equilibrado, o DS3 transmite confiança ao piloto nas curvas Marco de Bari/Quatro Rodas

NÓS DISSEMOS

Exclusivo e eficiente, o Citroën DS3 reúne atributos para quem quer brigar nos segmentos de carros de imagem, esportivos e, caso o preço se confirme, até com hatches médios. (…) Bem aceito no mercado europeu, o Audi A1 fez escola. Com muita personalidade, o DS3 copiou dele a carroceria duas-portas, o estilo diferenciado e as proporções. Sem contar o conjunto mecânico, igualmente eficiente.” – 2012

Continua após a publicidade
Publicidade