Guia de Usados: Toyota Etios (1ª fase)

Quem vê cara não vê coração: seguro, econômico e bom de dirigir, ele vai ficando mais bonito com a convivência diária

Toyota Etios Pacote XLS inclui rodas de liga, aerofólio e faróis de neblina

Pacote XLS inclui rodas de liga, aerofólio e faróis de neblina (Marco de Bari/Quatro Rodas)

A Toyota se especializou em produzir automóveis duráveis e confiáveis, mas de estilo funcional e às vezes controverso. Foi assim com o jipe Bandeirante, com o Corolla e com o Etios, sua primeira aposta entre os compactos.

Por dentro ou por fora, é difícil os donos se encantarem por esse visual e por soluções singulares como os instrumentos no centro do painel, de difícil leitura. Felizmente, a primeira impressão nem sempre é a que fica.

Toyota Etios Painel de instrumentos central: ousadia no bem-comportado visual do carro

Painel de instrumentos central: ousadia no bem-comportado visual do carro (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Como um bom Toyota, o Etios apela para o lado racional: trata-se de um automóvel robusto, ágil, econômico e seguro, qualidades oriundas de um projeto moderno (que resultou em 4 estrelas para adultos e 2 para crianças no Latin NCap).

Integrante da nossa frota de Longa Duração, o Etios revelou suas virtudes como produto e a maturidade do pós-venda. Todas as peças de desgaste normal são oferecidas a pronta entrega e o atendimento é sempre pontual, eficiente e com preço justo: a rede não sofre da famosa empurroterapia. Resultado: o carro foi o grande vencedor de nossa pesquisa de satisfação Os Eleitos 2015.

Toyota Etios Os designers não economizaram nos vincos na hora de desenhar a carroceria

Os designers não economizaram nos vincos na hora de desenhar a carroceria (Marco de Bari/Quatro Rodas)

O Etios estreou no fim de 2012 com um 1.3 16V, com bons 90/84 cv e torque de 12,8/11,9 kgfm (álcool/gasolina), números mais que suficientes para impulsionar seus 945 kg com muita agilidade e consumo comedido. No ano seguinte, ganhou a opção do 1.5 16V de 96,5/92 cv e 13,9 kgfm.

Quem busca o melhor custo-benefício deve levar a versão XS, que traz o que interessa: ar-condicionado, direção elétrica, som com MP3 e USB, vidros e travas elétricos e conta-giros, além de maçanetas e retrovisores na cor da carroceria.

Toyota Etios Na traseira, o piso tem um degrau pequeno entre os assentos

Na traseira, o piso tem um degrau pequeno entre os assentos (Marco de Bari/Quatro Rodas)

Para bolsos mais recheados, há a XLS 1.5, com farol de neblina, roda de liga aro 15, alarme com travamento a distância e melhor acabamento interno. Ou a Platinum (desde 2014) com mais cromados, lanternas fumê, sensor de ré e bancos de couro.

Se a grana está curta, opte pela versão X, com ABS e travas e vidros elétricos (o ar é opcional). Existe ainda a básica (sem denominação), com grade sem pintura. Como não traz freios ABS ou direção elétrica, ela encalha nas lojas.

Toyota Etios O porta-luvas tem saída de ventilação

O porta-luvas tem saída de ventilação (Marco de Bari/Quatro Rodas)

ONDE O BICHO PEGA

ACABAMENTO INTERNO – Nas versões básica, X e XS, verifique qual é o estado geral de botões, difusores de ar, laterais de porta, maçanetas internas e manivelas dos vidros, que podem apresentar algum problema de funcionamento.

SUSPENSÃO – Superdimensionada, ela costuma resistir inabalável às péssimas condições de nossas ruas e estradas. Os batentes dos amortecedores são os primeiros a manifestar seu desgaste através de batidas secas em fim de curso, mas convém analisar os amortecedores, que não devem apresentar vazamentos.

EMBREAGEM – Não costuma dar problemas, mas algumas unidades apresentaram trepidação e ruídos que só são eliminados com a substituição de alguns componentes. Rangido no pedal costuma ser resolvido com a troca e o ajuste do cabo de acionamento.

PARTIDA DIFÍCIL – Bicos injetores sujos podem causar o problema, mas o principal vilão é o regulador de pressão de combustível danificado. A limpeza dos bicos (com substituição do filtro de combustível) e a troca do regulador resolvem o problema.

Toyota Etios Motor 1.5 gera 96,5 cv de potência com etanol

Motor 1.5 gera 96,5 cv de potência com etanol (Marco de Bari/Quatro Rodas)

A VOZ DO DONO

Nome: João Guilherme Aguiar
Idade: 55 anos
Profissão: engenheiro civil
Cidade: Campinas (SP)

O QUE EU ADORO

“Ágil e confortável, ele tem uma dirigibilidade notável graças à estabilidade excelente e ao torque em baixas rotações. O consumo de combustível é baixo e as revisões, baratas”

O QUE EU ODEIO

“O painel central é esquisito, mas logo você acostuma. Ruim mesmo é a ausência injustificável do computador de bordo e da iluminação do porta-malas, mesmo na versão mais completa”

PENSE TAMBÉM EM UM… CHEVROLET ONIX

O Onix oferece opção de motor flex 1.0 ou 1.4

 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ao contrário do Etios, o Onix é destinado a quem não está disposto a abrir mão de estilo e conveniência: mais bonito por dentro e por fora, traz direção hidráulica, regulagem de altura do assento, um painel melhor e porta-malas maior (280 x 270 litros). O motor 1.0 gera 80/78 cv, mas prefira o 1.4, que rende 106/98 cv.

 

LEIA MAIS– Os Eleitos 2015: Toyota Etios– Longa Duração: Toyota Etios

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s