Clique e assine por apenas 5,90/mês

Conheça o engenhoso carro de duas rodas que foi um fracasso nos anos 60

Gyro-X foi criado como o futuro do automóvel ao se equilibrar em duas rodas, mas projeto naufragou e apenas uma unidade foi produzida

Por Igor Macário - Atualizado em 23 ago 2020, 14h46 - Publicado em 20 ago 2020, 13h03
Gyro-X foi criado em 1967 como proposta futurista para transporte pessoal Lane Motor Museum/Divulgação

O estranho veículo das fotos parece ter saído de algum filme futurista dos anos 60, com suas formas esguias e aparentemente flutuar sobre o asfalto. O Gyro-X foi criado em 1967 com a ideia de ser um carro mais eficiente do que os convencionais modelos de quatro rodas. Mais leve e compacto, poderia usar motores menores e mais econômicos.

Com apenas duas rodas, o Gyro-X é estreito e mais aerodinâmico, capaz de ultrapassar os 200 km/h, mesmo equipado com um motor de cerca de 80 cv. O propulsor era emprestado de um Mini Cooper S da época. Para ficar em pé, o modelo usava um giroscópio de 22 polegadas de diâmetro. A peça ficava girando em alta velocidade para contrabalancear os movimentos da carroceria e evitar que o Gyro tombasse.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Segundo o fabricante, o modelo era capaz de inclinar até 40° para os lados sem perder o equilíbrio. No entanto, quando desligado, o Gyro precisava de duas “rodinhas” laterais, como de bicicletas infantis. Com o giroscópio parado, era impossível manter o modelo em pé.

Lane Motor Museum/Divulgação

A “engenhoca” é fruto das mentes de Alex Tremulis, estilista e entusiasta de carros antigos, e Thomas Summers, especialista em giroscópios.

A ideia era promissora, com futuros modelos previstos para produção pela Gyro Dynamics Corporation. O carro foi mostrado no espaço “The Wonderful World of Wheels”, dentro do Salão de Nova York de 1967.

Só que na prática, o carro era menos fantástico do que o proposto. Acima de 120 km/h o Gyro era instável, de acordo com relatos. Em todo caso, provavelmente a empresa não teve recursos para desenvolver melhor a tecnologia. Também não teve tempo, já que em 1970 a Gyro Dynamics faliu e o carro nunca chegou a ser produzido.

Continua após a publicidade
Lane Motor Museum/Divulgação

O destino do carro ficou nas mãos da justiça americana, e o veículo seria integrado ao processo de falência da empresa.

A partir daí, o carro passou por vários anos de transformações feitas pelo próprio Thomas Summers, um dos criadores. Entre aparições e sumiços desde os anos 70 até 1994, o Gyro-X perdeu seu giroscópio, ganhou uma terceira roda e um motor Volkswagen para que conseguisse ser registrado para rodar legalmente nas ruas.

Lane Motor Museum/Divulgação

O carro reapareceu em 2009, bastante modificado, ao ser vendido para um colecionador do Texas. Em 2011, foi vendido novamente para o Lane Motor Museum, em Nashville, atual proprietário do carro.

O museu então promoveu uma meticulosa restauração para trazer o Gyro-X às suas características originais. O modelo ganhou de volta o seu giroscópio e chamou atenção no Concorso d’Eleganza de Villa d’Este, na Itália.

No vídeo abaixo, o próprio museu explica o funcionamento do complexo sistema que mantém o carro equilibrado.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Fernando Pires/Quatro Rodas
Continua após a publicidade
Publicidade