Clique e assine por apenas 8,90/mês

Como se faz um rali? Confira a logística por trás das trilhas

Organização do evento inclui reconhecimento prévio do terreno, divisão de trilhas por categoria e tecnologia para acompanhamento de resultados

Por Abril Branded Content - 10 dez 2018, 11h30

Em novembro, o Mitsubishi Motorsports desembarcou em Salvador para a disputa de sua penúltima etapa no ano. O rali em si foi disputado apenas em um dia. Porém, para que ele pudesse acontecer, foi preciso contar com o trabalho de uma equipe inteira de especialistas.

Antes de tudo começar, muita coisa acontece para definir os locais de largada e chegada dos competidores e preencher todo esse espaço com trajetos apropriados a todas as categorias do rali de regularidade da Mit.

Para tudo isso, a equipe estuda as trilhas existentes no local e determina o mapa, considerando o nível de experiência necessário e os desafios proporcionados – além de garantir toda a segurança para a prova. É um processo que pode demorar até dez dias.

Durante a prova, os organizadores continuam trabalhando a todo vapor para acompanhar o desempenho de todos os participantes. A tecnologia é muito bem-vinda: sistemas de rastreamento acompanham cada metro percorrido pelos veículos.

Continua após a publicidade

Ficou curioso? Confira os bastidores de um rali no vídeo. E, para saber mais sobre os eventos da Mitsubishi Motors, clique aqui.

Publicidade