Como se faz um rali? Confira a logística por trás das trilhas

Organização do evento inclui reconhecimento prévio do terreno, divisão de trilhas por categoria e tecnologia para acompanhamento de resultados

Em novembro, o Mitsubishi Motorsports desembarcou em Salvador para a disputa de sua penúltima etapa no ano. O rali em si foi disputado apenas em um dia. Porém, para que ele pudesse acontecer, foi preciso contar com o trabalho de uma equipe inteira de especialistas.

Antes de tudo começar, muita coisa acontece para definir os locais de largada e chegada dos competidores e preencher todo esse espaço com trajetos apropriados a todas as categorias do rali de regularidade da Mit.

Para tudo isso, a equipe estuda as trilhas existentes no local e determina o mapa, considerando o nível de experiência necessário e os desafios proporcionados – além de garantir toda a segurança para a prova. É um processo que pode demorar até dez dias.

Durante a prova, os organizadores continuam trabalhando a todo vapor para acompanhar o desempenho de todos os participantes. A tecnologia é muito bem-vinda: sistemas de rastreamento acompanham cada metro percorrido pelos veículos.

Ficou curioso? Confira os bastidores de um rali no vídeo. E, para saber mais sobre os eventos da Mitsubishi Motors, clique aqui.