Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Lucid Air: sedã elétrico de 1.126 cv e painel 5K estreia ideia de pós-luxo

Com narrativa bonita e tecnologia impressionante, Lucid estreia sem medo com sedã de potência e alcance absurdos

Por Eduardo Passos Atualizado em 8 out 2021, 17h16 - Publicado em 7 out 2021, 18h40

“O carro elétrico de luxo de maior alcance e recarga mais rápida do mundo. Com potência incrível e autonomia sem igual de 832 km por carga, é algo como jamais visto em um carro. Tudo entregue em elegante e eficiente design — inspirado pela Califórnia”.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Apesar do parágrafo acima corresponder à apresentação que a fabricante americana Lucid faz do seu primeiro modelo, este não é um texto promocional. Pelo contrário, vamos nos ater a essa pretensa definição do sedã Air para concluir que, pelo visto, o modelo não parece decepcionar no que dizem a seu respeito.

Com quase 5 metros de comprimento e rivais de alto luxo como o Mercedes-Benz EQS, o Air é um início nada modesto de uma fabricante criada à moda da Califórnia, trazendo um mundo alienígena de montadoras ao esquema de startups, IPOs e rodadas de investimentos, liderados pela Arábia Saudita.

Habitáculo imita canopis de aviões militares e, na versão mais cara, é ornada com platina polida
Habitáculo imita canopis de aviões militares e, na versão mais cara, é ornada com platina polida Divulgação/Lucid

Criada em 2007 como fornecedora de peças, a Lucid Motors definiu seu propósito de vez há cinco anos, liderada pelo ex-executivo da Tesla, Jaguar e Lotus, Peter Rawlinson. Além de Rawlinson há outros 13 executivos vindos de outras fabricantes, tão diversas quanto Ferrari, Rivian, Volkswagen, Ford, FCA e GM.

Com forte incentivo estatal, Lucid construiu duas fábricas no Arizona que, esperam, produzirá até 30.000 carros por ano
Com forte incentivo estatal, Lucid construiu duas fábricas no Arizona que, esperam, produzirá até 40.000 sedãs por ano Divulgação/Lucid

No fim das contas, a californicação é parcial, e apesar da sede no Estado Dourado, a atividade industrial ocorre no Arizona, onde fortes incentivos estatais possibilitaram a construção de uma fábrica de trens-de-força e outra de chassis e montagem, separadas por alguns quilômetros. Juntas elas produzirão o Air, um SUV previsto para 2023 e um cupê e uma picape sem datas. Em cinco anos, estimam os técnicos, a Lucid fabricará 251.000 carros a cada 12 meses.

  • Lucid Air

    Outro empréstimo da aviação é o nome do sistema de telas do Air: glass cockpit
    Outro empréstimo da aviação é o nome do sistema de telas do Air: glass cockpit Divulgação/Lucid

    O líder dessa ofensiva é o Lucid Air Dream Edition, a versão de topo do sedã que atingirá insanos 1.126 cv e 101,3 kgfm através de dois motores síncronos de ímãs permanentes (PMSM) bem leves (74 kg cada) e que “cabem na bagagem de cabine dos aviões”. Mesmo superando os 2.300 kg, o elétrico vai de 0 a 96 km/h em 2,5 s e beira os 289 km/h; muito graças ao incrível coeficiente aerodinâmico (Cx) de 0,21.

    Tablet auxiliar se recolhe sob um toque no painel
    Tablet auxiliar se recolhe sob um toque no painel Divulgação/Lucid

    Mesmo em sua versão mais poderosa, o Air tem autonomia de 753 km em ciclo EPA. A marca, porém, oferece versões mais baratas do carro que, com menos potência, tem alcance máximo de 832 km com uma única carga nas imensas baterias de 112 kWh. Como o veículo tem inédito sistema elétrico de 900 volts, a Lucid garante que esse será o carro elétrico com carregamento mais rápido do mundo, e 20 minutos na tomada bastarão para mais 480 km de viagem.

    Interior “pós-luxuoso”

    O Lucid Air é obcecado em superar a Tesla e a Mercedes-Benz nos campos da eletrificação e luxo, respectivamente. O interior do novo carro, entretanto, é bem mais sóbrio que os dos mais nobres sedãs alemães. Mas a empresa tem sua “explicação”.

    Continua após a publicidade
    Além dos 456 l atrás, um porta-malas sob o capô acrescenta mais 202 l de capacidade de carga
    Além dos 456 l atrás, um porta-malas sob o capô acrescenta mais 202 l de capacidade de carga Divulgação/Lucid

    Trata-se da “pós-luxúria”, que acredita em elegância e modernidade como substitutos da opulência e indulgência. “Falamos com pessoas com sentido e propostas de valor, e que percebem o impacto de suas decisões”, explica a empresa, que mesclou três tipos de “luxos tradicionais” para criar sua narrativa.

    Rolls-Royce Boat Tail conversível azul visto 3/4 de frente

    Nisso a Califórnia retorna à pauta, inspirando o uso de tecidos e detalhes que remetem ao estado mais famoso dos Estados Unidos. Bem californiano também é o uso de tecnologia sem limites. 

    Segunda fileira poderá se reclinar
    Segunda fileira poderá se reclinar Divulgação/Lucid

    O painel de instrumentos tem 34’’ e resolução 5K em sua tela curva, que também exibe informações de entretenimento. Mesmo assim uma segunda tela, semelhante a um iPad, pode aparecer de dentro do console e oferecer funções avançadas como equalização fina dos 21 alto-falantes premium do carro.

    Marca chama suas concessionárias de
    Marca chama suas concessionárias de “studios”, ainda que se pareçam mais com boutiques ou museus Divulgação/Lucid

    Há bastante “pós-luxo” no uso de couro, madeira e tecidos sempre ecologicamente responsáveis ao redor da cabine. A plataforma veicular parecida com um skate permitiu ainda mais espaço aos ocupantes, que poderão até reclinar os bancos de trás e curtir a luz que penetra no “canopi” formado pelo imenso para-brisas e teto solar quase embutidos ao vidro traseiro. 

    Acredite: esse motor elétrico cabe em uma mochila e gera 563 cv
    Acredite: esse motor elétrico cabe em uma mochila e gera 563 cv Divulgação/Lucid

    Pensando na Tesla, a Lucid também garante um sistema de auxílio à condução ainda mais moderno que o Autopilot, capaz de fazer as mesmas funções dos carros de Elon Musk em condições mais hostis de iluminação e neblina, por exemplo. Para evitar mortes como as que vêm irritando a concorrente, o Lucid Air conta com nove airbags, carroceria em alumínio de alta resistência e detalhes como faróis de led e micro lentes, que direcionam com mais precisão e intensidade a luz emitida.

    Entre os 396 pedidos de patentes feitos na criação do Air está os faróis com microlentes, que direcionam e intensificam sob medida a emissão de luz
    Entre os 396 pedidos de patentes feitos na criação do Air está os faróis com micro lentes, que direcionam e intensificam sob medida a emissão de luz Divulgação/Lucid

    A fabricação do modelo já começou, e as entregas começarão nos próximos dias. Mais de 10.000 unidades da versão mais cara foram encomendadas, ao custo de no mínimo US$ 169.000 (cerca de R$ 930.000) cada, mas isenções fiscais para carros elétricos podem gerar desconto de até 10% no valor.

    Rodas de aro 21 são um dos opcionais do pretenso e luxuoso sedã elétrico
    Rodas de aro 21 são um dos opcionais do pretenso e luxuoso sedã elétrico Divulgação/Lucid

    O modelo básico, Air Pure, terá bem menos potência e autonomia (486 cv/650 km), mas, por US$ 77.000 (cerca de R$ 423.000), brigará em segmentos mais diversos, onde a tecnologia ainda importa mais do que o “pós-luxo”. 

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

    Capa 749
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade