Clique e assine com até 75% de desconto

Novas tecnologias: em breve os bancos do seu carro serão anti-coronavirus

Fio que inativa o coronavírus, desenvolvido no Brasil, será usado nos automóveis

Por Paulo Campo Grande Atualizado em 7 set 2020, 14h38 - Publicado em 8 set 2020, 07h00
Ilustração/Quatro Rodas

A Rhodia desenvolveu no Brasil um fio têxtil com propriedades antivirais e antibacterianas que pode ser aplicado no revestimento de bancos e de outras partes dos automóveis, ajudando no combate ao novo coronavírus.

O fio foi apresentado em junho e já existe uma empresa homologada pela Rhodia, a Chroma-Líquido Tecidos Tecnológicos, para a fabricação dos tecidos, que também poderão ser usados em outros meios de transporte, como ônibus, trens e aviões.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Batizado Amni Virus-Bac Off, o fio foi criado para evitar a proliferação de bactérias e a transmissão de vírus em artigos têxteis, incluindo os chamados vírus envelopados (revestidos por uma camada de gordura) como influenza, herpesvírus, além do novo coronavírus, entre outros.

O tecido feito com o Amni Virus-Bac Off não serve como pano de limpeza porque ele não retira os vírus das superfícies dos objetos. Mas todo vírus que encostar nele é inativado, evitando o que se chama contaminação cruzada, aquela que ocorre através do contato das pessoas com os objetos, diferentemente da contaminação entre pessoas.

Suzuki Swift Sport R

De acordo com a empresa, a eficácia do fio foi comprovada por laboratório independente seguindo protocolos internacionais, definidos nas normas ISO 18184 e AATCC100.

Quanto custa

A Chroma-Líquido já negocia com cinco montadoras o fornecimento dos tecidos. Segundo o CEO da empresa, Luís Gustavo de Crescenzo, não é possível estimar o preço desses produtos porque cada companhia tem sua estratégia de negócios.

De acordo com o vice-presidente da Rhodia, Renato Boaventura, o Amni Virus-Bac Off custa de 20 a 30% mais caro que um fio de poliamida comum. Mas o fio é apenas um dos insumos utilizados no revestimento de um banco, por exemplo.

Continua após a publicidade
  • Antiviral

    O agente é um composto químico incorporado à estrutura do fio com capacidade de atrair e inativar os vírus envelopados.

    Ação do antiviral

    A inativação se dá porque, em contato com o vírus, o agente antiviral rompe a camada lipídica (gordura) que o envolve, deixando seu material genético exposto, perdendo assim a sua capacidade de contaminação.

    Atração fatal

    A atração ocorre por afinidade eletrônica. Enquanto as regiões de proteínas da parte externa do vírus possuem cargas negativas, o antiviral tem cargas positivas (cargas opostas se atraem). Assim, o vírus é impedido de ancorar na célula humana, e não se replica.

    Vida útil

    O fato de o agente antiviral ser incorporado à estrutura (matriz polimérica) do fio faz com que a sua ação tenha efeito permanente e não se perca por atrito ou lavagem do tecido, que terá a mesma vida útil da peça confeccionada.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade